Deixa eu te fazer bem?

Esqueça.
Esqueça tudo o que passou. Guarde para aprender, mas esqueça para viver.
Esqueça porque só assim eu vou conseguir te mostrar quem posso ser para você. Só se você me deixar eu vou conseguir te mostrar como é possível ser feliz sem sofrer.

Esqueça tudo o que passou porque cheguei para te mostrar que o lado bom da vida nem começou.
Sei que falando assim posso parecer alguém confiante demais, alguém que beira até uma certa arrogância como se eu soubesse exatamente qual é a receita da felicidade, mas não tem nada disso não. Falo isso só por ter certeza que sou quem pode te fazer bem, te fazendo esquecer toda a dor para aproveitar todo o amor dessa vida. Todo o amor que guardo dentro de mim.

Eu estou pronto para você.
Vou gostar de ser quem você precisa para te acompanhar. Vou gostar de ser quem você quer para dividir os dias bons e aqueles nem tão bons assim. Vou gostar de derramar a minha vida um pouco na sua e levar um pouco de paz e bons motivos para dar risada.

A minha impressão é que sempre te esperei.
O tempo caprichou e me fez até engordar de tanto comer o pão que o diabo amassou, porque olha, passei por cada uma que nem sei como estou aqui para contar história. Mas o legal é que tudo isso me ajudou a ficar pronto para você, tudo isso me ajudou a ter clareza do que sou e do que posso ser para alguém.

Eu também não sabia que a gente daria nisso, mas tem coisas que não dão para saber onde vai dar. E justamente essa que é a graça.
De ser alguém para distrair, passei a ser alguém para te completar. Pelo menos é como me sinto e como gostaria de ser para você.

Deixa eu te fazer bem?
Deixa eu te ligar sem o medo de te atrapalhar? Deixa eu te chamar para conversar sem pensar que estou te pressionando? Deixa eu te convidar para fazer alguma coisa na sexta a noite? Deixa eu te fazer bem só te ouvindo falar?

Deixa eu te mostrar que o passado tem valor para aprender, mas é no futuro que mora o amor para viver?

Márcio Rodrigues.
instagram: @marciorodriguees

Não consigo ser mais do que isso

Tudo de bom que sou e que tenho, você já conhece e te dei.
Nunca faltou carinho, porque todo o que eu tinha na vida dei para você. Nunca faltou atenção, porque você sempre foi a prioridade dos meus olhos e do meu coração. Nunca faltou companhia, porque eu sempre falei que poderia contar comigo, mesmo que fosse para fazer nada. Quando a gente reconhece que temos uma pessoa inteira com a gente, a busca pela felicidade com alguém termina e começa o prazer em aproveitar.

Para mim, sempre foi você.
A gente sabe como é tarefa difícil saber conviver com alguém e todas as instabilidades que vem com outra pessoa na nossa vida. A gente sabe. Mas tudo fica tão mais fácil quando a gente dorme com a certeza de que temos alguém do bem ao nosso lado, e não só alguém para chegar, aproveitar e ir embora. E eu sempre fui esse alguém para você. Quem te via dormir e quem estava ao seu lado quando acordava. Quem te elogiava nas terças-feiras normais e quem te apoiava nas segundas-feiras estressantes. Eu sempre fui.

A gente só não conta com o inesperado da vida, né?
Eu não esperava te cansar, até porque, pra mim, era combinado que quando uma coisa não estivesse tão legal entre nós, a gente conversaria. Só que a gente não conversou direito e, pouco a pouco, fui te vendo se entediar com a minha presença na sua vida. Mesmo sendo inteiro como falei, mesmo estando presente como sempre estive, mesmo te lembrando da sua importância para mim com gestos e palavras, acabei me desfazendo diante dos seus dias. Virei paisagem. Parece que fui de “a pessoa certa” para “uma certa pessoa”. Aconteceu. Este é o fato.

Não consigo ser mais do que sou, até porque nunca fui nem metade com outro alguém. Falo isso porque a impressão que eu tenho é que você gosta de mim, mas gostaria mais se eu fosse de um outro jeito que você gosta – um jeito que não sou. Acho que isso tem a ver com aquele momento em que alguém passa a não ser tão fundamental assim na nossa vida. O fim de semana que a gente se via, passa a ser o fim de semana que talvez a gente se vê; aquele filme no cinema que a gente não perdia, passa a ser um filme para qualquer dia.

Acho que nem você percebeu ainda, mas eu percebi pela gente, correndo o risco de estar enganado – é preciso me alertar – , mas certo de que só juntei alguns dos fatos. E isso também me deixa triste: você pode alegar que estou enganado, mas você nunca mostrou outra coisa. Devo acreditar mais no que demonstra ou no que argumenta?

Não consigo ser mais que isso.
Sempre fui um apaixonado em ser para você o que nunca fui para alguém, e isso inclui cada um dos nossos pequenos momentos, das quebras de rotina, das surpresas sem pra quê e dos bilhetes inesperados.
Eu queria lembrar do dia que você me viu como alguém que seria o seu único alguém. De repente eu poderia fazer a mesma coisa de novo para você me olhar assim outra vez.

Márcio Rodrigues.
instagram: @marciorodriguees

 

 

 

Fiquei com preguiça de você

Eu pensei que isso não ia acontecer comigo. Sempre achei esse negócio de ter preguiça de alguém meio estranho. É que na minha coleção de histórias ou eu gostava muito de alguém ou só não gostava, não havia outro sentimento. Mas como essa vida capricha até demais, isto é, quando você acha que sabe de tudo e que nada é novidade, lá vem ela e te joga na cara o quanto você não sabe de nada.

Fiquei com preguiça de você.
Só que diferente de muitos outros sentimentos que a gente não consegue explicar, nesse caso eu consigo identificar quando tudo começou.

Lá no começo, quando a gente saía e vivia alguma história, eu não pensava assim. Era tudo muito legal pra mim. Gostava de te ter na minha rotina e sempre lembrava de você por onde eu passava. Eu estava realmente gostando de você. Esta é a verdade.

E parte de mim acreditava que você gostava também, afinal, você sempre topava fazer coisas comigo. A gente não tem bola de cristal para adivinhar quando alguém gosta ou não da gente, né? Mas dá para gente perceber alguma coisa. Havia uma certa reciprocidade, ou se não havia, você enganava muito bem.

As coisas continuaram assim até começar a te ver sumir dos meus dias. Até começar a não ter mais minhas mensagens respondidas, até começar a não ter mais meus convites aceitos, do contrário, muitas desculpas novas. Comecei a perceber que você estava saindo da minha vida aos poucos, mas até aí tudo bem. Pessoas entram e saem das nossas vidas todos os dias. Nada muito diferente do que já vivi. O que passou a me incomodar, porém, foi que você reaparecia quando queria. Ou seja, sabe-se lá o que vivia, mas havia dias que você me chamava para fazer algo. E eu ficava em dúvida se aceitaria ou não, mas como no jogo do amor eu sou um péssimo jogador, eu sempre aceitava. Só não era mais igual como já foi um dia. A gente não se empolgava mais.

E, finalmente, entendi que fiquei com preguiça de você. Que isso não era raiva, mas era algo como “’sério que é você, de novo, falando comigo?”, eu pensava; algo como “lá vem aquele papo de ‘desculpa sumir, a vida tá corrida’”. A gente sabe quando sente preguiça de alguém quando preferimos passar a noite abraçado com um controle remoto mas não com esse alguém. Isso é preguiça. É quando a gente passa a não ter ânimo pra falar com alguém. E você fez nascer isso em mim. Não queria te responder mais.

Cansei de ver seus posts. Cansei de ver suas fotos. Cansei de ver seus snaps. Cansei de ver a vida que você atualizava. Parei de te acompanhar. Cansei de tudo isso porque cansei de você e perdi as forças para estender uma conversa depois do “tudo bem e com você?” que, eventualmente, te respondia ao me chamar no chat. Fiquei com preguiça de você. Não tenho saco. Não tenho tempo. Não tenho vontade. Não tenho raiva, porém. Não tenho ódio, nem muito menos te desejo mal. É que você deixou de serr tudo para ser tanto faz. Você deixou de ser prioridade para ser opção. Deixou de ser especial para ser normal. Deixou de ser você para ser um contato. Fiquei com preguiça de você. E o mais louco, acho que é irreversível. Raiva passa, preguiça fica.

Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees

Por quê a gente parou de se falar mesmo?

Quando foi que a gente percebeu que não ia funcionar mais?

A gente se falava tanto. Depois de tanto tempo sem alguma novidade para aquecer meus dias, eu gostei de te ver fazendo parte da minha rotina. Sempre gostei de receber seu “bom dia” com alguma puxada de assunto, nem que seja daquelas mais óbvias. Eu sempre gostei.

A gente se falava tanto, não é fácil desacostumar.
Quando não dava para te responder, eu te avisava. E o mesmo fazia você. Quando não dava para digitar, eu te enviava áudio. Quando não dava para enviar áudio, eu te escrevia. Funcionava assim e funcionava bem.

Passavam os dias e noites, os fins de semana. Te contava das séries que assistia e a gente perdia horas discordando sobre qual era a melhor e por quê. Eu gostava disso! Era engraçado, era divertido, era tão nosso.

Por quê a gente parou de se falar mesmo?
Será que te assustei com alguma coisa que falei? Será que você entendeu errado alguma coisa que eu pensei ter dito do jeito certo? Será que o problema sou eu? Ou você que simplesmente cansou e preferiu interromper? Será que você falava também com outras pessoas com a mesma intensidade que falava comigo? Será que você me via como eu comecei a te ver? São tantas dúvidas. E dói tanto ter dentro de mim a incerteza se eu que contribuí para este fim mesmo sem ter começado.

Há mensagens suas que releio.
É como se pudessem me levar de volta para aqueles dias, aqueles bons momentos que a gente vivia.

É difícil se derramar dentro de alguém e ver que o que era para completar acabou alagando. Por mais que eu tente pensar nos porquês, acaba pesando mais em mim a sensação da culpa ter sido minha.

Por quê a gente parou de se falar mesmo?
Isso é normal ou eu que esperava mais?
Será que você se pergunta a mesma coisa? Ou fomos só mais uma distração e um grande tanto faz? Complicado, né.

É difícil porque nem sei como tocar no assunto. Te vejo online e não sei muito bem se me cabe de perguntar o que houve. Parte de mim quer, parte de mim se pergunta se é mesmo necessário ou se a meia palavra já basta mesmo.

Seria a gente mais uma dessas relações de plástico que existem hoje em dia? Em que filmes são vividos em um dia e é ingenuidade esperar uma mensagem no dia seguinte? Isso me faz pensar em uma coisa: eu nunca fui assim. Eu nunca serei assim! Não gosto me entregar a quem não quer me receber. Vou pensar sobre isso, pensar sobre a gente.

Todo mundo merece um ponto final para aliviar o peso das vírgulas.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees

contato: umtravesseiroparadois@gmail.com

Você pensa demais

Já parou para pensar que o tempo que perde pensando você poderia ganhar fazendo? Eu acho que você pensa demais. Essa coisa toda de dar passos só com certeza, de entender as regras para poder jogar, de esperar as horas certas, tudo isso te fazer perder um tempo que não vai voltar.

Entenda que isso não significa que você não deve pensar. Pensar bem é diferente de pensar demais. Eu só acho que você parar para pensar se tem parado para pensar demais.

Por exemplo, você poderia dizer mais que o que sente por alguém. E daí que “faz tão pouco tempo”? A gente tem que dizer o que sente não pela reação de alguém, mas pela sensação que a gente tem. Certas coisas não respeitam hora marcada.

Você poderia pedir mais desculpas.
Você sabe das cagadas que faz e fala. Todo mundo sabe. E por quê você não pode só pedir desculpas? Só dar o braço a torcer e tentar resolver? Por quê você não pode querer só ficar bem? Pensar se vai se humilhar, se vai parecer fraco ou coisa do tipo, só te torna mais enrugado e com dias mais desanimados.

Confesse que quer voltar.
Pense se é certeza e diga. Não pense tanto. O problema de pensar demais é que a gente acaba confundindo o que sentimos transformando em dúvida o que sempre foi verdade.

Se o seu medo for o de errar, não se preocupe. É melhor errar tentando do que só pensando em tentar, né? É sim. Sério, é sim.

Coragem para bater é o que falta para muitos corações.

Você não precisa ter que acertar sempre, mas você precisa tentar sempre. Tentar ver se vai dar certo mesmo, tentar dizer o que sente, tentar dizer o que não consegue explicar – sem palavras bonitas, com palavras sinceras.

Se foi bom e acabou, tudo bem. Continue vivendo. Passou. Chorou, parou. Sem pensar tanto, sem sofrer tanto.

Você pensa demais em agradar, em ser correspondido, em dizer a coisa certa, em ter medo de assustar, em sufocar de tanto gostar, em errar ao se proteger, você pensa demais, pensa tanto que esquece de pensar em você. Em ficar em paz com a sua vida. Reclama de quem já te fez sofrer mas não percebe que quem mais machuca seu coração é você.

Escreva o que estou te dizendo: um passo a mais que você dá para o que quer viver é um passo mais longe do que não quer viver mais. Te parece bom?

Márcio Rodrigues.
por @marciorodriguees

 

 

Feliz Domingo

Hoje é só mais um dia, sabe?
Parecido com o que foi ontem.
Bastante semelhante com o que será amanhã. É só mais um dia.
De diferente, é só que hoje é um dia que tem um rótulo. E rótulos, como sabemos, não são legais. Rótulos dividem as pessoas entre as que são assim e os que são assado. Só que no fim nós somos iguais.

É que hoje é um dia que só parte das pessoas podem viver diferente. Sempre foi 12 de Junho e quatro vezes por mês é domingo, até o rotularem de Dia dos Namorados e, este ano, cair num domingo. É o dia que as pessoas-que-não-namoram praticamente não podem viver, pelas regras da sociedade. A programação da TV não colabora para entreter. Tudo é meticulosamente pensado para que só aqueles que namoram possam sentir um sabor especial do dia hoje. Você que não tem ninguém no momento, não. Você não pode.
Mas hoje é só mais um dia. Logo ele vai acabar. Assim como todos os outros.

Um dia criado para aquecer o comércio não consegue aquecer coração nenhum.
Um dia de alegria não tem o valor de uma vida de felicidade.

Você não precisa se preocupar, muito menos ficar ansioso para a sua vez chegar.

Alguns outros dias como esse vão chegar e, talvez, até o próximo, você nem esteja aqui neste mundo para viver, por isso é preciso lembrar: datas comemorativas só são diferentes no calendário, isto é, de absolutamente nada adianta ser a melhor das pessoas e viver o melhor dos momentos em uma data, sendo que todos os outros dias – ou grande parte deles – são de bosta. Mas o mundo cobra, né? É preciso chegar na loja e pedir: “embrulha para presente?”. É preciso. Se você não presentear, você não será uma boa pessoa. Se você então não tiver a quem presentear, certamente você é uma pessoa infeliz. É disso que a nossa sociedade é feita; de padrões que deixam a vida chata e regrada, um pouco menos real e sensível por dia e cada vez mais programada e fria.

Este não é um manifesto contra as datas comemorativas, este é um manifesto a favor de tornar todos os dias uma data comemorativa. De grande merda vale a pena gastar rios de dinheiro só para que poucos dias do ano sejam especiais para quem te faz se sentir especial todos os dias. Não parece lógico?

Presentes são trocados no dia 12, mas quais serão no dia 11? E no dia 13? O que é um presente? Ah, é um “presente caro pela data”? E o que é um presente barato? Casais se presenteiam com presentes baratos? Presente tem preço ou valor? Ou bastam as selfies para provar que o namoro x é incrível e que o namoro y é perfeito?

Hoje é só mais um dia, sabe?
Só mais um dia para se fazer mais uma dívida, se o seu caso for presentear. Só mais um dia para fazer tudo o que gosta para todos os outros casos. Um dia desenhado para a felicidade de poucos, mas que pode ser aproveitado por todos. Um dia. Hoje é só um dia. Nada de diferente dos outros. O sol vai nascer e se pôr. O macarrão pode cair na roupa. O dedo mindinho pode bater na quina. Um dia qualquer.

Mas o que então a gente pode fazer pelos outros dias? Muita coisa.
A gente pode fazer com que todos os dias tenham motivos para comemorar, pois comemorar é plantar um sorriso no rosto de alguém e colher no nosso; comemorar é demonstrar dos menores jeitos o quanto alguém é especial. Comemorar é mais do que presente, bem mais do que fortunas gastas, bem mais do que o celular da moda ou da caixa de chocolate, comemorar é agradecer e ser melhor por você e por quem você é.

Hoje é só um dia, sabe?
Dá para fazer as coisas que fez ontem. Dá para fazer as coisas que faria amanhã.

Quem tem um coração quente não precisa de um dia para destacar. Quem se aquece num abraço não precisa do calor de um presente. Quem gosta no presente, não se importa com presentes.
Feliz Domingo.
E bom dia amanhã.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees

 

Ela quer você

O que te falta para perceber?
É impressionante como você parece ser cego diante dos sinais que ela te dá. Entendo que muitas das vezes cometemos o erro de pensar que é uma coisa, quando na verdade é outra. E aí a gente se precipita e pinta um mundo que só existe em nossa cabeça. É algo como o famoso “só estou sendo legal, não te dando mole”. Só que tem casos e casos, né?

Ela quer você.
Mas ela não necessariamente vai te dizer isso assim direto e reto. Há quem faça, mas ela tem o jeito dela de lidar com as coisas. E então ela distribui sinais das intenções dela.

Ela compartilha piadas sentimentais com destino certo para atingirem você. E muitas vezes ela te manda falando que “mostrou pra uma amiga” e riram muito, mas ela não mostrou para ninguém não. Só para você.

Você não faz ideia do quanto seu nome circula nos grupos dela com as amigas.

Você sabe o quanto é difícil tocar nesse assunto de querer alguém. Não venha com o papo de: “ué, se tem algo para falar, é só chegar e falar, eu sou de boa”. Não se faça de otário, porque você não faz isso ser fácil quando é com você. Não é mole se relevar para alguém. E muitas vezes, como disse, a gente confunde as coisas. Às vezes não é nada, às vezes é tudo. Não dá para ter certeza.

Ela quer você, mas não quer ser um problema na sua vida.
Ela sabe que você não tem ninguém – pelo menos é o que você diz e a faz acreditar -, mas não sabe se tem gostado dessa vida sem alguém. Ela, porém, não tem oficialmente o desejo de ter algo sério – é tudo tão rápido -, mas mesmo se for para ter algo divertido, ela quer ter com carinho e cuidado. E ela não quer se transformar em um fardo para você carregar. Assim como você e como qualquer outra pessoa, ela já se divertiu em noites com despedidas abreviadas ao amanhecer, aquelas que você só lembra com quem foi dormir na hora que acorda. Só que com você ela queria poder acordar sem ter que trocar “até mais”.

Você entende tudo isso? Faz sentido?
Você nunca parou para pensar na atenção que ela te dá? E em como as suas conversas duram mais tempo do que imagina? Já percebeu o quanto a janela do Whatsapp com ela sempre fica lá em cima entre as primeiras? Isso significa que ela já está na sua vida, só você não viu.

Ela quer você sem ter certeza se você a quer também. E isso é totalmente normal.
O problema, meu amigo, é você perceber tudo isso tarde demais. O problema é aquela chavinha do interesse por ela virar na sua cabeça só na hora que ela estiver querendo outra pessoa. O problema, portanto, é você continuar cego e não facilitar de alguma forma.

Ela quer você.
Preste atenção nos detalhes. Não seja assim tão óbvio a ponto de esperar que ela te diga algo. Tem coisas que não precisam ser ditas para serem entendidas. Aprofunde a conversa, não se mostre insensível. Você não tem a obrigação de sentir o recíproco, mas você pode muito bem começar a pensar melhor na possibilidade dela. Sabe como ter certeza se ela te quer mesmo? Seja para ela o cara que ela sempre quis ter, aquele mesmo que você vai descobrir ao continuar o assunto ao invés de ler a mensagem sem responder, aquele mesmo que você vai descobrir ao sentir o momento e combinar de fazer alguma coisa nessa semana.

Ela quer você. É do caralho alguém querer a gente.
Perceba e descubra se você também quer. Dê chances para viver o que desabafa aos amigos querer. Você não esperava que era ela, mas agora pode ser. Por quê não?

Perceba ela se aproximar antes dela perceber você se distanciar e passar a querer outra pessoa no seu lugar.

Leia “Ele quer você”: http://bit.ly/22HDsmO

por Márcio Rodrigues.
instagram: @marciorodriguees

Da para perceber quando alguém não te quer

O problema é que, às vezes, você não quer acreditar nisso. Ninguém quer.
E a prova é a sua admirável insistência e todas as vezes em que replaneja suas atitudes de modo a confirmar se, caso fizesse algo diferente, o resultado seria diferente. Sabe quando você tenta uma coisa e não da certo – sei lá, tipo tenta chamar atenção ou puxar um assunto de um jeito -, daí você vai e pensa na outra. Não dá certo. Pensa na próxima. Pensa em várias. Pensa muito. Faz tudo mas tudo o que você faz parece não mudar nada. Este é você. Assim todos somos.

Amor-próprio é algo tão bonito de se falar e ler em imagens compartilhadas na internet, né? Praticar este amor que é complicado. Um coração apaixonado não obedece comandos do cérebro. E o tempo para que tudo se esclareça varia de cada pessoa. Por isso, inclusive, é preciso respeitar se você tem visto alguém que conhece se machucando por alguém. Respeite o jeito das pessoas respeitarem o coração, pois não adianta sugerir receitas de como resolver. Não vai. Cada um tem seu tempo.

Só que dá para perceber quando alguém não te quer.
E perceber isso é um atalho para evitar sofrer. Por mais que você acredite no que sente e seja aquela pessoa passionalmente persistente, reserve um tempo e ar fresco para avaliar o resultado das suas atitudes.

De um modo geral, me parece meio secundário a questão de ter sim retribuição pelo que se sente. E não é. É preciso que estejamos cientes de como estão vendo o que sentimos. Tem vezes que quando a gente gosta de alguém, a gente gosta tanto que nem lembra de perceber se a pessoa parece gostar também. Imagina então quando a gente gosta de alguém sozinho? Mas este é o grande momento: perceber os sinais.

Perceba os sinais antes de querer justificar os porquês. Uma dor de cada vez. Perceba a intensidade com que recebe as respostas, perceba as reações depois das suas palavras, perceba o modo que te despistam, perceba o quanto você está remando numa canoa furada. Perceba e se convença. É preciso se sentir convencido de que os “hahahaha” são reais. É preciso se sentir convencido de que o “hoje não vai dar” realmente não vai dar ou é só uma nova-velha desculpa.

Dá para perceber quando alguém não te quer.
Mas dói.
Dói porque a gente começa a se perguntar os porquês – olha as justificativas aí! E aí a gente pensa se é a nossa aparência, se é nosso estilo de vida, se é o senso de humor, se é a vida profissional, se é a casa onde moramos, a fase da vida, o tamanho dos sonhos ou a preferência pelo ketchup ao invés de mostarda. A gente se pergunta tudo. Quando você perceber que alguém não te quer, vai doer. Vai doer mas vai passar.

E, a julgar o ciclo natural das coisas, quanto mais rápida é a dor, mais rápido a gente chega no amor. Todo fim de dor é um recomeço de amor.

Perceba se esse alguém te quer. Avalie seus esforços e os resultados. Permita-se considerar que a sua conversa no Whatsapp desse alguém está lá embaixo depois de todos as outras dispensáveis. Considere que no segundo seguinte que esse alguém te responde um “essa semana não vai dar, mas vamos combinar sim,” responde um “vamos sim, não me importo se for hoje!” em outra janela do chat. Considere que você quer alguém que não te quer.

O sentimento que você guarda é tão bonito quanto invencível.
Só que tem gente que não gosta de lutar para ser feliz.
Ou simplesmente estão em outra volta deste mundo, longe demais para perceber felicidade batendo a porta.

Fim do amor. Começo do amor.
Esqueça do que já sentiu e lembre-se do que ainda sentirá.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees

+ textos EXCLUSIVOS aqui.

Escrevi, mas não mandei

Na verdade, deletei. Porque já escrevi outras trezentas vezes.

E, provavelmente, até o dia acabar escreverei mais quatrocentas. Não é mole, não.

Essas coisas, juntamente a outras tantas, poderiam ser mais fáceis. Eu não gosto muito de me policiar. Acho injusto comigo e com meu sentimento renunciar uma vontade do meu coração, mas a vida não é só feita de coisas que a gente gosta.

Só que eu não sei você precisa receber. Ou precisa. Não sei.

E também não sei ao certo o que eu mandaria. De todas essas vezes, muitas delas seriam por impulso e, provavelmente, eu me arrependeria de ter mandado. Bem, pelo menos se eu tivesse mandado não me arrependeria por não ter feito, né? É, mas é complicado.

A gente entra, então, num conflito entre respeitar o que sentimos ou fazer parte do jogo. E não me venha com essa de odiar joguinhos! Ninguém gosta, mas todos somos obrigados a jogar. Eu não posso, por exemplo, mandar uma mensagem se a pessoa pediu espaço. Não posso mandar outra mensagem se quem pediu espaço fui eu. Isto é, em mil momentos da vida a gente se vê numa cilada entre respeitar as verdades do coração e da razão.

O ponto é que, de novo, escrevi mas não mandei.

De novo me acovardei e preferi deixar tudo como estava. Ou será que só respeitei um motivo maior? Sem arriscar, sem tentar, sem pagar pra ver. Escrevi cada palavra como talvez nunca tenha feito antes, com uma verdade que, talvez, nunca tenha conseguido expressar antes, mas como outras tantas vezes, preferi não mandar. Eu senti medo.

Senti medo de te atrapalhar. É que o medo se manifesta de muitas formas em nossa vida.

Senti medo que a minha boa intenção pudesse te prejudicar ou que pudesse piorar ainda mais minha situação com você.

Acho que ainda vai acontecer outras vezes, não exatamente com você. São muitas as vezes em que a vontade é de mandar a mensagem, mas a gente acaba segurando. E não dá para saber o que é o certo. Falar que a melhor escolha sempre será seguir o coração é prematuro demais diante da complexidade que a nossa cabeça cria sobre: mandar ou não mandar. O coração pode falhar só para respeitar o que a gente sente.

Eu gostaria de receber o que não te mandei.

Acho que aí nasce algo a se pensar, uma vez que seria algo que eu gostaria que mandassem para mim. Mas, e como todo e cruel “mas”, ainda assim não é possível assegurar que eu faria a coisa certa. Eu gostaria de receber o que ia te mandar porque a minha posição é outra. Talvez, pelo menos agora, eu tenha feito o certo ao me omitir para você. Ou, na verdade, eu deva sim te mandar. É uma decisão a ser tomada. Não há uma verdade. Dá pra ver como é difícil.

Vou salvar todas as mensagens para te falar quando te ver. Pelo menos pessoalmente vou poder confiar mais na sua reação do que no sua resposta digitada. Não é sobre desconfiar de você, é sobre me proteger de fazer mal sem querer.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees

Por um dia você foi minha

Foi um dia só, não lembro nem se deu 24 horas redondo. Mas naquele dia, por aquele tempo, nós vivemos um pra sempre com hora para acabar.

Vou mentir se eu disser que não queria ter vivido outros daquele dia, mas não é só questão de escolha da minha parte. E isso eu já aceitava com outras pessoas antes de você.

Por um dia, eu fui todo seu.
A minha atenção era sua e tudo de bom que saiu da minha boca era para você, dos beijos aos motivos para te fazer risada. Foi assim que aconteceu.

Por um dia eu te senti minha de verdade. Por um dia nós fomos para sempre. É que eu já te sentia na minha vida desde a primeira vez que a gente se falou, mas foi naquele dia que, ao te ver e poder tocar você, te senti fazendo parte do meu dia. Senti alegria por ser o privilegiado a te ouvir falar, nem lembro direito de tudo porque eu ficava enfeitiçado com o nosso momento e preocupado com a hora que acabaria, mas eu guardei tudo.

Por um dia a gente planejou uma vida inteira sem dizer uma palavra. Foi só um dia, não teve depois, não teve “vamos marcar algo de novo”, não teve “me avisa quando chegar em casa” no dia seguinte. Só naquele dia. Existiu tudo, porém, só naquele dia. Só por um dia.

Por um dia eu tive a certeza de que conseguiria te fazer parar de sofrer. Te esperei tanto! Naquele dia eu tentei ser quem você nunca conheceu antes. Não queria ser melhor nem pior que ninguém, mas eu queria ser eu na sua vida, nem que só por um dia. Como fui. Por isso que me esforcei tanto para te fazer sentir especial. Meu beijo foi tão real. Estive onde minha mente estava. Era eu inteiro ali. E esse “me esforçar tanto” não tem a ver com quantidade, afinal, era só um dia, tem a ver com qualidade. Me esforcei para marcar como nosso aquele dia no calendário da sua vida. A gente nunca sabe como será no dia seguinte e costumo não pensar nele. Sou tão preocupado em fazer do hoje o melhor dia, que o amanhã parece longe demais.

Foi tudo e tudo se foi por um dia só.

Te vi sair da minha vida do jeito que chegou, te vi estranha do jeito que te vi íntima. O vento te levou para algum lugar que não pega sinal de celular. E tudo bem. Eu entendo. Era pra ser só naquele dia mesmo. Nossa conversa foi ficando pra baixo no Whatsapp dando lugar para outras pessoas e grupos que eu falava mais. Você não teria tempo de decorar meu sobrenome, minha comida preferida e a banda que mais gosto. Nós fomos tudo, fomos tanto, fomos tão nós, tudo isso e muito mais, mas infelizmente, com hora certa para nos despedir. “Obrigado por hoje! :)” e nunca mais.

Por um dia eu pensei que seria pra sempre. Bobo eu, né?
Como assim, nos tempos de hoje, eu pensar que um dia só seria mais que um só dia? Vai ver lá no fundo da minha consciência eu te conheci me despedindo. Hoje a gente conhece as pessoas, mas não sabemos se elas ficarão nas nossas vidas, daí viram só um número na agenda. A gente dá “oi” com uma mão e “tchau” com a outra. Chegam pra ficar, saem sem voltar.

Foi bom te sentir aqui, nem que só por um dia. Eu gostei tanto. E gostei de te fazer bem – pelo menos você demonstrou, ou enganou melhor ainda. Sei lá.

Tomara que a sua vida siga bem, que os outros que chegarem agora descubram mais rápido do que as horas que levei para descobrir o que você precisa para ser feliz. Lembra? Foi só um dia, mas não esqueço nenhum dia.

+ textos exclusivos no Facebook.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees

« Older posts