Em geral, a primeira impressão é só uma coincidência quando a pessoa se mostra de um jeito e, com o tempo, confirma que realmente é assim. 
Mas a primeira impressão não deve ficar e dá para pensarmos sobre. 

É bastante injusto você avaliar alguém com uma primeira impressão sobre como esse alguém se mostra. Acontece que essa pessoa pode ter mil e um motivos para ser como foi na primeira vez.

A fase pode ser ruim.
A noite passada foi uma merda.
Um problema pessoal pode estar existindo.
Ou a pessoa pode ser tímida. Ela pode ter receio de que enxerguem mais suas fraquezas do que suas fortalezas.

Por isso, me incomoda muito falar que “a pessoa impressão é a que fica”. Entendo que tem um peso grande, mas acho injusto que este seja o critério para definir como alguém é.

Se a gente leva meses para começar a conhecer alguém em um namoro, imagina cravar que alguém é x ou y por uma primeira impressão?

A primeira impressão pode ser uma merda, mas a segunda pode ser maravilhosa. E esse é o tipo de coisa que você só descobre quando se permite e para de levar a vida como oito ou oitenta. Não tem essa definição quando a gente fala de coração.

Toma cuidado com a sua primeira impressão sobre as pessoas. Priorize não confiar nela. É necessário ter uma recorrência de comportamento para que você perceba como, de fato, a pessoa é. Em uma relação de anos, por exemplo, a gente ainda não conhece alguém inteiramente – ou você nunca ouviu falar em decepção?

Tem gente que parece um nojo na primeira vez. E falo nojo no pior sentido da palavra, não do meme. Tem gente que parece insuportável, parece metida, parece até grossa. Tudo isso a gente fareja com uma primeira impressão por alguém, mas nada disso deve ser decisivo sobre como as pessoas são.

É só imaginar como seria se você com você.
Imagina aquele dia horrível na sua vida. Aquela fase ruim no trabalho, dinheiro faltando, a pele oleosa, roupas velhas e tudo mais que pode comprometer sua autoestima por dentro e por fora. E aí você, num evento qualquer com amigos que trouxeram outros amigos, acaba conhecendo uma pessoa sendo que você não está nos seus melhores dias e, naturalmente, não consegue disfarçar. Mas essa pessoa não sabe, afinal, ela não te conhece. E aí esse alguém comenta depois sem você saber: “Nossa, achei meio mala. Sei lá, a pessoa com cara fechada, total nojo”.

Essa foi a primeira impressão da pessoa por você. E eu tenho certeza que não acha justo.
A gente não precisa perseguir o amor à primeira vista até porque ele é uma exceção romântica, a gente precisa lembrar que a primeira impressão não deve ficar; a gente precisa lembrar que não é sobre escolher uma roupa, é sobre conhecer alguém. E me parece óbvio que isso demanda profundidade e interesse. 

por Márcio Rodrigues.
umtravesseiroparadois@gmail.com

imagem: Sergey Sus/Flickr