Author: Márcio Rodrigues (page 1 of 58)

Acorda pra vida

Escuta, estou com vontade de te falar umas coisas.
O seu mundo parou e você parece não ter percebido, né?
Está claro o quanto passou da hora de você tomar alguma atitude.
Sair desse estado de paralisia.
Faça alguma coisa para mudar.
Você reclama mas faz nada para resolver.
E a mudança só vai acontecer se você fizer alguma coisa.

Acorda pra vida.
Acorda e enxerga que você tem dado atenção para quem não te dá.
Acorda e se toca que você tem se doado mais do que se doam para você.
Quanto mais da sua vida você vai dedicar para as coisas que te fazem mal?
Esse seu pensamento até pode te visitar, mas não precisa morar na sua cabeça.
E me desculpa falar desse jeito, mas é que não dá para aguentar mais te ver assim.

Passou da hora de tomar o controle dos dias.
Você precisa focar em cuidar de si antes de querer cuidar de alguém.

E quando não é pior: antes de querer cuidar do mundo inteiro como tanto tenta fazer.
Você sabe bem como faz isso.
Coloca todo mundo a frente das suas coisas e deixa a si mesmo por último.
Você é um grande TANTO FAZ para a sua própria vida.
E isso só vai te piorar.
Focar em trabalho. Focar em dinheiro. Focar em pessoas erradas.
Focar em tudo menos focar em você.
Ultrapassar os limites a ponto dos limites atropelarem você.
Tá claro tudo o que estou falando?

Acorda pra vida pra ela não passar sem você perceber.
Acorda pra vida porque é uma delícia de viver quando se vê.
Acorda pra vida porque quem mais ganhar com isso será você.
Escreva sobre seus sonhos e suas vontades.
Pegue uma folha de papel e enumere suas qualidades.
Perceba o quanto de coisa boa existe em você mas que você nem se dá conta.
Ninguém vai bater na sua porta para te lembrar como é uma pessoa incrível.
Ninguém vai trazer as soluções para os seus problemas.
Afinal, as pessoas tem os problemas delas.
Só você que esqueci de si para lembrar dos outros. E tudo bem, porque é bonito.
Mas e quando chega a sua vez?
Acorda pra vida.
E, de novo, desculpa falar assim.
Eu poderia passar a mão na sua cabeça e falar que é assim mesmo.
Para te de colocar no fim das prioridades.
Cuida do teu coração antes de querer que alguém te ajude nisso.
Fica perto de gente que te faz bem. Você sabe quem são.
Se o for sobre ter alguém, ter alguém não é nada quando não temos a nós mesmos.
Se você quer ser perder para alguém te encontrar, você vai encontrar remédios, não curas.
Acorda pra vida. Pra sua vida.
Converse com pessoas. Se inspire com coisas boas.

Eu sei que está foda, mas eu acho que você deve fazer alguma coisa.
E eu só falo assim porque quando a gente se importa com alguém, a gente fala o que esse alguém precisa ouvir, não o que gostaria.

Vai ficar tudo bem, mas você precisa fazer alguma coisa antes.
E você pode até não conseguir, mas você precisa tentar.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees
@umtravesseiroparadois
umtravesseiroparadois@gmail.com

 

Quando lembro da gente

(leia ouvindo)

Lembro de como você deixa claro como gosta de quando estamos juntos.
Você não consegue e nem precisa disfarçar que faz bem ter a minha risada prolongando cada fim da sua. E tudo bem, afinal, eu também não me importo muito em te deixar saber que gosto muito de quando diz que quer me ver. Isso me faz bem.

A gente entendeu que temos um jeito de funcionar e esse jeito faz bem de um jeito que a gente gosta.

Às vezes você me manda foto da sua casa, dos gatos, dos pratos, dos sábados, fotos da sua vida. E eu te retorno com as minhas e, sem falar nada, a gente vai fazendo companhia um para o outro.

Eu entendi que você encontra em um mim uma fuga para o momentos bosta da vida e tudo bem eu ocupar este papel. Pode ser num jantar na terça-feira, pode ser no amanhecer do domingo pela janela da minha casa ou pode ser num “bom dia” do whatsapp no meio da semana. A gente gosta de colorir os dias com a presença um na vida do outro.

O mundo talvez não consiga entender o que a gente sente.
Eu acho que a gente também não. Porque pensa comigo: passamos dias e até semanas sem nos falar, já aconteceu de anos passaram e, toda vez que voltamos a conversar, voltamos como se fosse a nossa primeira conversa.

Tem alguma coisa que liga a gente mas a gente não se liga o que é.

Quando eu lembro da gente eu só lembro de coisa boa.
As partes ruins que já aconteceram não são o suficiente para manchar tudo de bom que já vivemos. Temos um jeito de combinar as energias que só em novela das nove pode ter algo parecido.

O que mais importa disso tudo é o quanto isso tudo faz parte do todo quando estamos juntos.
E, ao mesmo tempo em que leio tanta confusão em você, leio também tanta vontade de ter alguém para te ouvir, falar e conversar sobre a sua vida. Vejo você com furacão na cabeça ao passo em que vejo você cheia de certeza sobre a parte boa dos dias. Por isso eu me pego rindo sozinho quando acordo te procurando ao lado do meu travesseiro ou quando te encontro no perfume de alguém desconhecido. Vai ver ainda possa acontecer alguma coisa entre nós que eu não sei e nem você – e tudo bem. Eu nunca me dei bem com a ideia de prever o futuro.

Eu gosto de quando estamos perto. Gosto de ignorar o mundo e deixar as mensagens no celular para depois. Quando de te elogiar quando te flagro prendendo o cabelo e gosto de destacar como teu cabelo grande está bonito, mesmo você destacando o quanto precisa cortá-lo. Eu gosto de quando estamos perto e gosto de sentir que você gosta da gente perto. Gosto de lembrar do seu jeito de falar comigo.

O que temos é só nosso.
Não dá para dizer que estamos construindo alguma coisa, mas dá para dizer que quando estamos juntos não deixamos que nada seja destruído. Desse jeito meio estranho de ser e nos termos, vamos vivendo um dia por vez. Eu te levo nas lembranças do meu dia enquanto você me encontra na vontade de me ver mais. Vamos vivendo assim até o dia que a gente sentir vontade o bastante – e alguma coragem – para acordarmos mais vezes juntos depois de dormirmos abraçados.

Quando lembro da gente a imagem que me vem à cabeça é a minha deitado em você a gente discutindo onde almoçar antes de nos despedirmos mais de uma vez.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees
@umtravesseiroparadois
umtravesseiroparadois@gmail.com
_______________________________________
CANAL NO YOUTUBE!
 CLIQUE AQUI, assista aos vídeos, comente e inscreva-se. 🙂

PLAYLIST OFICIAL:
Todas as músicas que ouço para escrever os textos estão NESTA PLAYLIST.

O que falar depois do beijo?

Os rostos se aproximam devagar.
Uma mão, delicadamente, percorre o rosto.
Profundo silêncio que dá até para ouvir o som dos olhos se movendo e observando cada detalhe da expressão um do outro.
Um abraço desenha-se.
E um beijo devagar se faz real.
Um beijo que começa doce, com alguns revezamentos de posição das cabeças. Este beijo então se apimenta e aquela mesma mão que outrora era tão delicada, agora se mostra forte, intensa e puxa parte do cabelo.

Este beijo não termina rápido.
Ele se transforma em passeio pelo pescoço e pequenas mordidas aparecem. A respiração aumenta, o corpo se aquece e as mãos passam a apertar a pele um do outro. Isso quando o calor não explode e o suór banha este momento. Tudo isso e muito mais pode acontecer durante o beijo, mas e depois? O que falar depois do beijo?

O que falar depois daquele primeiro beijo que você sempre quis dar naquela pessoa? O que falar depois daquele beijo na cama? O que falar depois do beijo para romper o silêncio e a troca de olhares que tanto querem falar coisas mas não sabem se devem ou sentem medo de estragar alguma coisa? Existe algo para falar? Precisamos falar algo? Esperamos a pessoa falar alguma coisa?

Muita coisa envolve um beijo. Pode ser um beijo de saudade que já tem roteiro do que se falar depois, mas pode ser também um beijo de alívio, um beijo de querer mais, um beijo de ser tudo o que a gente mais queria. Mas e depois? Será que a gente pode anunciar um elogio? Se escolhermos por ficar quietos estaremos perdendo alguma oportunidade? Se perguntarmos alguma coisa estaremos colocando a pessoa em uma situação desnecessária?

Será que depois do nosso beijo a gente já pode pular para a hora que consigo te contar que estou vendo uma sujeirinha na ponta do seu nariz e rir disso? Ou podemos pular para a hora que você vai teimar em querer tirar cravos do meu rosto?

Beijar uma pessoa é um dos melhores momentos da experiência que é estar vivo. Mas o que falar depois do beijo? Mesmo que este beijo seja do tipo que nunca mais vamos ver a cara da pessoa? Mesmo que este beijo seja do tipo que nem vamos lembrar o nome da pessoa amanhã. O que falar? E quando o beijo é a ponta do iceberg de algo grande e bom que a gente sente, mas não sabemos se podemos demonstrar como sentimos?

Eu fico só te olhando em silêncio ou pergunto se você gostou? E se eu não falar nada? E se eu ficar tímidx?

Vai ver não exista exatamente uma regra do que se falar depois do beijo, mas exista uma necessidade: viver aquele momento de verdade e fazer aquela pessoa beijada sentir-se bem antes, durante e depois do beijo.

Se você quiser falar alguma coisa, fale. Se você quiser ficar em silêncio, fique. Mas só não se esqueça de fazer aquela pessoa se sentir especial, de fazer aquela pessoa sentir que o seu beijo foi para ela e que você depositou no teu jeito de beijar tudo o que tem de bom em você – mesmo que nunca mais vocês se beijem novamente ou, principalmente, se seu desejo é que este beijo seja o último primeiro beijo daquela pessoa em alguém.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees
@umtravesseiroparadois
umtravesseiroparadois@gmail.com
_______________________________________
CANAL NO YOUTUBE!
 CLIQUE AQUI, assista aos vídeos, comente e inscreva-se. 🙂

PLAYLIST OFICIAL:
Todas as músicas que ouço para escrever os textos estão NESTA PLAYLIST.

Corações cansados de tentar

Muito cansaço. Muito mesmo.
Corações cansados de tentar e experimentar coisas.
Corações, porém, que amam tentar; que inegavelmente não conseguem fazer outra coisa a não ser seguir tentando. Porque tentar é o primeiro passo para conseguir. E a gente tenta.

Só que tentar cansa.
Cansa ver o mesmo filme com atores diferentes. Cansa não encontrar sentido no que estamos sentindo e não entender o que sentem com a gente. Cansa muito.

Corações cansados de tentar.
Corações escondidos nas mensagens nunca respondidas pelo celular. Coração exausto do monossilabismo – existe essa palavra? – de outros corações, isto é, coração cansado de tentar sozinho e seguir remando para lugar nenhum.

Coração que fica bêbado de tanta decepção, que dorme tarde com a paisagem do teto. Que perde a fome. Que encontra a solidão. Que foge de outro querer, que corre para outro que não quer. Coração enganado e eventualmente idiota quase que de propósito.

De propósito porque mesmo quando a gente sente que vai dar bosta, a gente continua.
E isso é muito do caralho. Ser real é foda. Só que dói também.

Porra, dias que não são legais. Corações cansados demais.
Que horrível vestir meu coração de novo e colocá-lo para sair só para alguém empurrá-lo no meio da rua.
“Eu pensei que a gente pensava igual”

Será que vai ser dessa vez que será a última vez?
Ou será que vai ser mais uma vez em que vou ter que acordar e encontrar um travesseiro vazio ao meu lado?
E quando será a vez que vamos poder encaixar nossas pernas e só acordar com o despertador do celular?

Coração que de tanto bater machuca a gente.

Cansados de tentar mas nunca o bastante para parar.
Nem tão a sós por ser sermos nós apertando nós: corações e nós.
“Ei, espera um pouco: traz aqui mais uma dose de esperança de que vai ser diferente. Deixa eu acreditar em você. Me conta um pouco sobre o seu dia. Deixa eu contar do meu. A gente pode mudar o nosso futuro aprendendo com o nosso passado.”

Que cansaço que dá.
E que saudade que dá.
De quando parecia que ia dar certo.
Exatamente aquele segundo entre o nunca e o quase.
Onde o nunca parece perseverar. Pelo menos na maior parte das vezes.

Corações cansados de tentar acompanhar as batidas que o outro dá.
Eu esperei você dizer que gostou, mas você não disse nada. E eu esperei demais.
Não foi a primeira vez – e tudo bem. Eu espero sempre e sempre vou esperar melhorar.

Eu não posso reclamar por não tentar.
O meu cansaço não é por decepção, mas por correr tanto atrás para conseguir que até perco o ar.

Amanhã eu tento de novo, mas hoje eu quero desabar no meu colchão e presentear algumas horas de alívio para o meu coração.

E chorar.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees
@umtravesseiroparadois
umtravesseiroparadois@gmail.com
_______________________________________
CANAL NO YOUTUBE!
 CLIQUE AQUI, assista aos vídeos, comente e inscreva-se. 🙂

PLAYLIST OFICIAL:
Todas as músicas que ouço para escrever os textos estão NESTA PLAYLIST.

Vamos fazer dar certo?

Muita gente fala: “é que não deu certo”.
É complicado falar isso. É muito subjetivo esse “dar certo”. Cada dia bom, já é um dia que deu certo, já é a história dando certo.
Mas tem uma coisa aí para se pensar.
A gente vem de uma sequência de histórias que nos frustraram muito.
Ou a gente não queria o fim que tivemos que aceitar.
Ou a gente não tinha como continuar algo que precisamos terminar.
E aí a nossa energia também acabou.
Tantos recomeços que dá preguiça de tentar.

Só que a gente vai fazer dar certo agora.
E vamos fazer isso por causa de um coisa: estamos dispostos a isso.
Cada dia bosta que a gente viveu nas histórias do passado são lições pra gente não viver outros dias bostas pela frente. É sobre aprender a aproveitar a parte boa da vida lembrando como a parte ruim machuca.

Vamos fazer dar certo porque a gente gosta de cuidar da gente.
A gente se anima quando alguém de nós está animado(a).
A gente sente o mesmo sabor da boa notícia quando contamos.
E é triste da mesma forma quando a notícia não é tão boa assim.
Eu sei que é pouco tempo, mas já é muito bom.
Sem perceber, a cada dia a gente faz com que dê um pouco mais certo.

Vamos nos marcar em posts de cachorros fofos.
E piadas sem graça.
E eventos com comida boa.
E shows legais.
Perder tempo na internet do celular no refúgio da nossa companhia.

Vamos pensar nisso quando a gente brigar?
Vamos pensar em fazer dar certo?
Vamos pensar em dar mais valor para a solução do que para o motivo da discussão.
A gente vai aprendendo junto a como melhorar o que é bom.
A gente vai encontrando um jeito nosso de fazer bem a nós.
Vamos fazer dar certo?
Temos tantos defeitos e manias; temos tantas coisas diferentes.
A gente não se gostou por sermos pessoas iguais, mas por vermos que dá para equilibrar nossas diferenças se a gente rechear nossos dias com coisas legais. Uma história em que o joguinho vai ser só o do celular deitado no sofá na tarde de domingo ou com amigos na sala de casa na sexta-feira a noite.

Eu tenho muita coisa a aprender da vida com tudo o que você já viveu da sua. Os seus olhos viram coisas que os meus não viram ainda mas eu quero saber de todas essas coisas. Eu quero saber mais dos seus medos e das suas vontades. Vamos fazer dar certo porque a gente gosta de se dedicar. E eu, por quem mais posso falar entre nós dois, me sinto bem para te fazer bem de um jeito que você vai lembrar cada vez menos dos dias ruins. Focando em ser melhor, a gente vai sempre melhorar. Quero ser o seu último primeiro beijo. E quero ser quem vai conhecer coisas de você que não chegaram a saber. E isso é tudo porque a gente vai dar certo de um jeito que achamos certo.

Vamos fazer dar certo?
Vamos fazer ser bom?
Vamos fazer música com o jeito que a gente dá risada?
Vamos somar força para segurar os dias pesados?
Vamos. Só vamos.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees
umtravesseiroparadois@gmail.com
_______________________________________
CANAL NO YOUTUBE!
 CLIQUE AQUI, assista aos vídeos, comente e inscreva-se. 🙂

PLAYLIST OFICIAL:
Todas as músicas que ouço para escrever os textos estão NESTA PLAYLIST.

Queria sentir por você o que sente por mim

 

Eu entendi.
Ficou bastante claro.
E entendi, especialmente, porque já estive em seu lugar.
Lembro bem.
Naquela vez foi exatamente igual:

A gente se dava bem e eu contei que estava sentindo algo diferente.
Ela, infelizmente, não sentia o mesmo.
Foi uma bosta pra mim.
Só não foi a única vez. Aconteceram outras várias.
Na escola da vida tem aula e lição de casa todos os dias.
Eu entendo você.

E que merda, eu queria que fosse diferente.
Eu poderia falar mil coisas, mas a única verdade é que eu não consigo, mas eu gostaria de sentir por você o mesmo que sente por mim.

Queria ser recíproco por esse sentimento tão bonito que você nutre sobre mim.
Eu queria PODER ESCOLHER O QUE SENTIR E POR QUEM SENTIR.
E o que me dá mais rava é que eu não me interesso por alguém como você da mesma maneira que se interessa por mim, mas acabo me atraindo por cada pessoa pior que lixo que eu nem consigo explicar o quanto. Na verdade, desculpe, peguei pesado com o lixo.

Fica ainda pior porque qualquer coisa que eu falar que não seja sobre também gostar de você, vai ser uma coisa ruim de se ouvir.
Eu não queria passar por isso, mas seria horrível mentir.
Imagina?
Eu poderia me forçar e tentar viver alguma coisa com você só por você gostar de mim.

Isso é esmola sentimental. É tentar por dó.
E JÁ FIZERAM ISSO COMIGO! Eu poderia mas eu evito reproduzir o que mais odeio.
Eu poderia ir seguindo, ir deixando a gente viver só para ver no que daria.

Assim, descompromissado comigo, com você e com o que você sente.
Exatamente da mesma maneira como já fizeram comigo antes.

Eu queria pode escolher sentir o mesmo por você.
Queria poder te colocar nos meus planos como você contou que faço parte dos seus.
Eu queria muito te ver de outra maneira.
Porque você é uma pessoa tão foda que seria incrível viver alguma coisa com você.
Mas eu não consigo. Não agora. Não consigo. Que raiva.
E meu, que privilégio ser por quem você sente tanta coisa boa.

É sinal que eu também tenho oportunidades de me dar bem nessa vida.
E eu gostaria muito que fosse agora.
Eu gostaria muito de retribuir cada palavra.

Ao mesmo tempo em que me sinto incrível por isso, eu me sinto horrível.
Incrível pela oportunidade de receber tanto sentimento bom, e horrível, claro, por sentir muita coisa boa por você também, mas não o bastante pra gente somar tudo isso juntos.
Falar sobre isso é sempre uma merda. Eu acho que já repeti “merda” algumas vezes.
Eu não consigo viver tudo isso e ficar “me achando”. Eu fico triste.
Triste porque, como eu falei, em geral eu gosto de pessoas que cagam pra mim.
Enquanto você está transbordando vontade de me fazer bem de um jeito especial.

Eu só não consigo avançar nisso e te retribuir.

Não agora.
Foi bom saber, foi ótimo saber, fez o certo em me contar.
Preciso respirar um pouco e digerir tudo isso.
Mas eu me sinto bem por escolher falar o que você precisa saber não o que gostaria ouvir.

Você ia gostar de ouvir que eu sinto a mesma coisa.
Mas você precisa saber que eu não consigo.
Não agora.
Talvez eu precise me foder muito nessa vida para o meu coração aprender por quem bater.

Olha que lógica de bosta.
Eu queria, mas não consigo.

Mas as coisas mudam.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees
umtravesseiroparadois@gmail.com
_______________________________________
CANAL NO YOUTUBE!
 CLIQUE AQUI, assista aos vídeos, comente e inscreva-se. 🙂

PLAYLIST OFICIAL:
Todas as músicas que ouço para escrever os textos estão NESTA PLAYLIST.

 

Imagina juntos?

Imagina o que a gente pode fazer juntos?
Imagina cada resistência de chuveiro que a gente vai penar para trocar?
Imagina que dupla seria você pedir a pizza e eu descer para buscar?
E as comidas que a gente pode aprender a fazer assistindo vídeos do Youtube?
Imagina eu te falar para virar a direita e você acabar virando a esquerda e mesmo assim a gente chegar lá? Imagina juntos?
Eu não sei se a gente revolucionaria a vida um do outro juntos. Não acho que essa é a intenção da coisa toda. Pra mim, é perigoso pensar assim porque a gente acaba depositando uma responsabilidade gigante em alguém que nem sabemos se está preparadx para isso. Por exemplo, eu não posso esperar que você retribua as coisas que eu faço por você por melhores que sejam. Você não tem obrigação e eu não posso esperar por isso. Só que isso não me impede de fazer. Eu gosto e só faço e o mesmo se aplica a você. Você só é e eu só sou. A gente não pode cobrar um do outro algo que a gente não sabe se estamos prontos para oferecer ou receber. Não é bem por aí. Em qualquer relação nós somos o espelho de quem sempre fomos. O que acontece é que a vida segue normal até alguém cruzar nosso caminho e propor uma pimenta no pastel que a gente sempre come igual. E a gente aceita a sugestão. E fica ótimo. E olha a surpresa: existe alguém que pode melhorar o que era bom – ou para colocar sabor no que nem parecia ter mais de tão igual. Existe alguém que pode acrescentar na nossa vida por justamente ser diferente da gente. É sobre isso. É sobre você seguir bem por aí e eu bem por aqui, lidando com os dias bons e ruins mas, imagina juntos?

Imagina a gente gostando de ser quem somos um para o outro sem a pressão de impressionar? Imagina podermos dizer um para o outro o que pensamos e como vemos o mundo sem o julgamento de ser certo ou errado? Imagina a gente achar que sempre estivemos certos em algo e um de nós discordar e nos fazer ver diferente? Imagina a gente achar que sempre estivemos errados em algo e um de nós discordar e nos fazer ver que temos razão? Imagina a descoberta diária, semanal, mensal e anual que vai ser a gente participar da vida um do outro? Imagina, sei lá como, a gente acaba descomplicando a vida um do outro e tornando o que sempre pareceu impossível em algo simples e até óbvio?

Imagina você descobrir que eu ronco um pouco a noite e eu descobrir que você fala dormindo? Imagina a gente conhecer as manias um do outro? Que você prefere o lado direito da cama e que eu não como a borda da pizza? Pera aí: como você come a borda da pizza?

Imagina a gente vai assim, com carinho, cuidado e proteção, aos poucos, sem pressa para acontecer mas com vontade de viver, indo diariamente no posto de paciência do nosso coração para mantê-lo abastecido a fim de respirarmos mais antes das brigas, pegando carolinas de doce de leite além dos três pães diários da padaria. Imagina?

Dá para a gente imaginar também toda a parte ruim de imaginar a gente junto, mas a gente não precisa sofrer por antecipação porque energia ruim não precisa de atenção. Então, pode ser uma boa a gente imaginar a parte boa, cuidando de cada pedacinho do tijolinho que é construir uma história a cada dia.

Você funciona bem sem mim, eu funciono bem sem você, ninguém depende de alguém para funcionar, mas imagina como como funcionaria e quanta coisa a gente consertaria um no outro com a gente juntos?

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees
umtravesseiroparadois@gmail.com
_______________________________________
CANAL NO YOUTUBE!
 CLIQUE AQUI, assista aos vídeos, comente e inscreva-se. 🙂

PLAYLIST OFICIAL:
Todas as músicas que ouço para escrever os textos estão NESTA PLAYLIST.

Seja você, mas seja aos poucos

 

Eu quero falar com vocês que gostam de se entregar, assim como eu.
A gente se entrega muito, né? A gente mergulha nas coisas sem olhar para frente e muito menos para trás.

A gente só vai.
E ir é muito bom.

Isso é muito foda! Se entregar é muito foda. As pessoas tem medo de se entregar hoje em dia, mas também pudera, é tanta gente lixo que desanima tentar acreditar que a próxima pessoa não será uma próxima pessoa-lixo. Fica difícil de acreditar. Então, para quem é assim como nós, que se entrega e foda-se, poxa, isso é muito foda. Não vamos parar nunca de ser assim.

Mas talvez a gente possa mudar um pouco as coisas.
Não é mudar o nosso jeito. Isso nunca.
Mas, pensando em nos proteger, talvez a gente possa realmente dar um passo de cada vez na vida. Talvez a gente possa continuar mergulhando, mas olhando para trás e principalmente para frente. Só para nos protegermos. Só para respirarmos mais a cada braçada.

Seja você, mas seja aos poucos.
Ser aos poucos para não correr o risco de assustar. É foda. O mundo está na fase em que as pessoas se assustam com pessoas bem intencionadas. Não dá para culpa alguém exatamente, o que aconteceu é que as pessoas-lixo desgraçaram a vida de todo mundo e esse vírus se espalhou. Então, é bastante difícil provar uma boa intenção, dizer que gosta, marcar de sair e tudo mais que for bom sobre alguém, é muito difícil fazer qualquer coisa porque sempre alguém que pode se assustar com isso.

E bem, sabendo disso, a gente que poderia mudar então.
A gente pode avaliar melhor se o chão é seguro para caminhar. A gente pode deixar a pessoa saber de versões nossas que poucas pessoas sabem. A gente pode mostrar um lado diferente daquele que sempre temos na manga através daqueles assuntos que gostamos de falar. A gente pode ouvir mais, a gente pode perguntar mais. Tudo isso pode ajudar a gente a continuar sendo quem somos, mas um pouco mais devagar. Ir mostrando tudo o que temos de bom não assim de cara, mas com cuidado e um pouco por vez.

É impossível afirmar que isso é fácil.
Mas é completamente possível afirmar que é viável, que a gente consegue.

Seja você. Continue sendo você e se orgulhando do seu jeito de querer e realmente fazer bem a alguém. Continue com essa vontade de mergulhar na vida de alguém. As pessoas não são rasas, os mergulhos é que não são fundos. Continue. Continue falando coisas boas, continue mentalizando coisas boas. Continue com o foco em colecionar alegrias e, com isso, ter uma vida mais feliz. Continue tudo, mas aos poucos. Para não assustar ninguém de cara, para não meter o pé pelas mãos e, principalmente, para se proteger.

Tenta fazer isso e depois me conta.
Faça o que sente, mas sinta antes de fazer. Pensa duas vezes só para administrar o duelo entre coração e razão. Tá foda, eu não queria falar sobre isso, mas as pessoas andam rejeitando pessoas que gostam delas e por mil motivos, sendo um deles, mergulhos rápidos e fundos demais, assim logo de cara. E aí isso ativa gatilhos ruins e as pessoas se afujentam. Até para entender um pouco, mas só um pouco. Dá para entender que a pessoa pode achar que ela não merece tudo isso que a gente gosta de ser, apesar delas não perceberem que a gente é assim sempre, não é uma exclusivida. É só o nosso jeito. A gente só gosta de provar que estamos gostando, sendo que o que essas pessoas querem é algué que prove a elas o quanto gostam. É irônico, mas é a verdade. Então se não para mudar a cabeça das pessoas, vamos mudar a gente um pouquinho. É triste aceitar que o tempo que a gente vive é sobre assustar uma pessoa sendo uma pessoa boa.

Tenta fazer isso e depois me conta.
Estou tentando daqui também.
A nossa meta é sempre fazer bem, mas até para fazer bem como a gente gosta tem hora.

Vai dar tudo certo.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees
umtravesseiroparadois@gmail.com
_______________________________________
CANAL NO YOUTUBE!
 CLIQUE AQUI, assista aos vídeos, comente e inscreva-se. 🙂

PLAYLIST OFICIAL:
Todas as músicas que ouço para escrever os textos estão NESTA PLAYLIST.

Vocês estão fazendo tudo errado

Vocês aí que estão no conforto da verdade absoluta na cabeça de vocês e sem questionarem a si mesmos: vocês estão fazendo tudo errado. Vocês que permanecem acreditando que “esse é o meu jeito e pronto” estão fazendo tudo completamente errado. Sério, vocês estão fazendo tudo errado e a gente precisa pensar sobre tudo isso.

Vocês que já se assustam com demonstrações de pessoas que querem o bem de vocês, puta que pariu, você estão fazendo tudo errado. Como é que pode ser ruim alguém demonstar algo bom pra gente? Como? Então por que vocês não conversam e não contam o que sentem – e o que não sentem – ao invés de fazerem essa merda de joguinho e desgraçar a cabeça DE QUEM QUER O SEU BEM? Vocês tem noção do que estão fazendo? É bom que saiba que está tudo errado.

Vocês que brincam com as pessoas boas que aparecem na vida de vocês. É bom que saibam que um saco de lixo na porta da sua casa tem mais valor que você sendo assim. Como é que você consegue usar alguém de muleta só para te fazer bem? Como é que você se aproveita da boa intenção, do tempo, do sentimento e da dedicação de alguém só para você usar quando for conveniente? E aí depois jogar fora tipo guardanapo sujo? Vocês percebem o tamanho desta cagada? Vocês percebem o quanto podem destruir a vida de alguém fazendo isso? Como que vocês conseguem dormir? Como que conseguem dormir ao BRINCAREM, porque é essa a palavra, ao BRINCAREM com o que alguém sente por você? Como que consegue dar algum sorriso agindo exatamente na maldade ao estalar os dedos para aquele alguém que te quer bem vir te agradar como deseja?

Vocês que não permitem que pessoas gostam de vocês. Nossa, essa é pesada. Como é que vocês vão conhecer alguém bacana se vocês não deixam ninguém bacana se aproximar? É claro que todo mundo já viveu muita bosta nessa vida que fica complicado confiar em novas pessoas, mas é bom que a gente coloque a mão na consciência para lembrar que: não tem jeito, vai ser assim sempre. Conhecer pessoas, viver histórias boas ou não e conhecer outras pessoas. Agora, você pagar de pessoa encalhada por aí enquanto tem gente querendo te fazer bem só te faz alguém que ESCOLHE sofrer. Olha o tamanho do absurdo. E poxa, é óbvio que em nada tem a ver com se forçar a gostar de alguém, pelo contrário, tem a ver com se permitir que te façam bem, se permitir surpreender com coisas boas da vida, se permitir que alguém interessante se interesse por você ao invés de sabotar tudo nos primeiros momentos. E todo mundo sabe que isso não é fácil assim de fazer também, mas tudo pode pelo menos ser conversado. O problema está na pessoa que te quer bem começar a acreditar que está te fazendo mal – e tudo porque você não conversa.

Não são tempos fáceis para quem quer ser legal para alguém. Não são tempos fáceis para se interessar por alguém e querer provar isso, uma vez que ninguém acredita mais que exista alguém diferente das pessoas-lixo das histórias anteriores. Não são tempos fáceis. Não são tempos fáceis para o amor. Parece que a gente não quer mais ser feliz. E a dúvida é: quando que ser feliz com alguém foi algo fácil? Nunca será, mas escolher piorar só atrapalha mais. Vocês estão sendo ótimos em serem péssimos; vocês que pensam mais em dificultar que facilitar, que parecem preferir problemas as soluções, que cobram mais do que aproveitam, que mais procuram defeitos do que valorizam qualidades, vocês todos estão fazendo tudo errado completamente errado.

Vamos refletir recapitulando o que está acontecendo em muitas das relações: se a pessoa demonstra que gosta, ela pode te assustar; se ela dá espaço para acontecer devagar, você vai achar que ela não está interessada; se a pessoa responde rápido, você acha que ela está sendo grude; se demora para responder, não quer mais nada com você; se a pessoa diz que gostou e quer te ver de novo, você ficando pensando que está indo rápido demais e nossa, por aí vai. Olha o tamanho do problema.

Vamos sublinhar algo importante: vocês não são obrigados a se forçar a nada, a sentir nada por alguém. Jamais. O problema é vocês sustentarem um discurso, por exemplo, de “nossa, só tem gente ruim no mundo” enquanto: 1) VOCÊS NÃO DEIXAM PESSOAS BOAS SE APROXIMAREM e 2) VOCÊS ACHAM PROBLEMAS ONDE NÃO TEM. Então, pensem melhor antes de saírem falando por aí que “o mundo não tá fácil”, “ninguém presta”, “não acredito mais em ninguém” etc, pensem mehor para talvez concluírem qual o papel de vocês nessa bosta toda; para talvez concluírem que vocês são grande parte responsável pelo problema; para talvez concluírem que ENQUANTO VOCÊS NÃO SE ENXERGAREM, NINGUÉM QUE VOCÊ GOSTA VAI CONSEGUIR VER VOCÊS COMO DESEJAM.

Vocês estão fazendo tudo errado mas sempre há tempo de consertar.
Vocês somos nós.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees
umtravesseiroparadois@gmail.com
_______________________________________
CANAL NO YOUTUBE!
 CLIQUE AQUI, assista aos vídeos, comente e inscreva-se. 🙂

PLAYLIST OFICIAL:
Todas as músicas que ouço para escrever os textos estão NESTA PLAYLIST.

Parece que falta algo

A saúde está boa, o salário está em dia e os boletos também – alguns sim, pelo menos. Os amigos estão por perto. A pele tem ficado menos oleosa. O cabelo até acorda de bom humor. Aquela roupa antiga parece que está servindo novamente. Tá tudo bem, mas parece que falta algo. Parece que falta uma peça e é estranho ter que admitir, apesar do primeiro passo para alguma coisa melhorar seja aceitar que não está tão bem assim.

A vida nunca estará exatamente como a gente gostaria.
Por melhor que as coisas estejam, a gente sempre vai encontrar um motivo para dizer que ela poderia ser melhor. Isso é algo que faz parte da gente e, de certa maneira, não tem problema. O problema começa quando a gente não valoriza o que a gente tem e passamos a exigir mais e mais, de tudo e do mundo. Não é bem o caso aqui.

Ser autossuficiente é fundamental para não depender de outra coisa ou outra pessoa para ser feliz. É fundamental acreditar na energia vital que carregamos e na capacidade que temos de conquistar as coisas que desejamos e desfrutarmos dos melhores sabores da vida sem, obrigatoriamente, precisar de alguém. Mas aí entra outra coisa que não é sobre precisar, mas é sobre gostar. É sobre gostar de ter alguém.

E, por mais que tudo esteja muito bem, tem horas que parece faltar algo.
Parece que a gente dá a nossa risada mas ela poderia ser prolongada. Parece que a viagem é boa, mas ela pode seria ainda melhor. Parece que o feriado é gostoso, mas poderia ser maravilhoso. Parece que as boas notícias são incríveis, mas poderiam ser fantásticas. Parece que a gente celebra, mas a gente poderia comemorar mais. E tudo isso parece quando a gente sente que parece faltar algo. E, nesse caso, faltar alguém.

Ninguém é tão boa pessoa que outro alguém não possa ajudar a ser uma pessoa ainda melhor. Enquanto seres humanos, é uma tendência nossa a de buscar um estímulo em outro coração além do nosso. E tudo bem, faz parte. A gente vive bem sem ninguém, mas a gente pode viver ainda melhor com alguém e, em algumas fases da vida, essa vontade aperta um pouco mais. Começa a ficar complicado viver algumas sextas-feiras. Começa a ficar complicado abrir o celular e não ter exatamente aquela pessoa para falar qualquer coisa, mandar qualquer foto e qualquer áudio. Parece que falta algo.

Está tudo bem.
Não é sobre reclamar de nada. Não é sobre mudar os planos. Não é nada sobre essas coisas. É sobre refletir como é louco quando mesmo quando está tudo bem, ainda parece que falta algo. E, ainda mais importante que faltar algo, é sobre a clareza que esse algo que falta é alguém. Não tem problema a gente admitir quando falta alguém. Não tem problema a gente aceitar que a carência bateu a porta e nos lembrou de um jeito não muito legal o quão estranho é estar sozinho às vezes.

Mas também não tem receita para resolver.
O que tem a fazer é continuar vivendo com paixão e proteção. Paixão pelas pequenas alegrias e motivos quem preenchem o peito. Proteção do coração para diminuir as chances de entrar pessoas que são mais confusão que solução. Afinal, é isso, parece que falta algo e esse algo é alguém, mas se esse alguém aparecer para levar o que já temos, é melhor continuar tudo assim mesmo, pois: tá tudo bem.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees
umtravesseiroparadois@gmail.com
_______________________________________
CANAL NO YOUTUBE!
 CLIQUE AQUI, assista aos vídeos, comente e inscreva-se. 🙂

PLAYLIST OFICIAL:
Todas as músicas que ouço para escrever os textos estão NESTA PLAYLIST.

Older posts