Como tem sido para você?

Eu não queria, mas vez ou outra eu acabo me perguntando isso.
É meio estranho ainda aceitar que o que para mim beira o fim do mundo para você é muito natural. Tipo: uma história começa aqui e tudo bem acabar ali depois.

Será que agora você está se sentindo mais feliz?
Ou será que espera que eu te chame para conversar, te chame para sair, te peça para voltar?
Eu não deveria pensar nessas coisas, mas acontece.
Naquele dia não me coube muito argumentar, mas também pudera: nesse tipo de coisa nunca existe muito o que justificar. Eu não queria convencer o seu coração a acreditar no meu. Você, certamente, não tomou sua decisão naquela hora, já era algo de antes e seria bobagem confrontar.

Um pouco de tempo para colocar as coisas no lugar. É disso que preciso.
E este mesmo tempo vai me fazer bem de muitas formas: ele é quem vai me confirmar o que sinto – às vezes nem é tudo isso.

Como tem sido para você?
Será que já beijou outras bocas depois da minha? Será que já contou para outras pessoas todas as coisas que disse só ter contado para mim? Será que já descobriram as coisas que você gosta? É uma merda pensar nisso tudo. Mas também ok, eu preciso lidar com isso e faz parte viver cada minuto da dor assim como vivi do amor.

Eu não vou deixar de gostar de você.
Não é porque nossos planos foram interrompidos que eu vou te desejar mal. Também não significa que estou feliz com tudo isso, mas te respeitar é também um jeito de gostar de você.

E esse meu pensamento sobre como você deve estar é só mais um sinal do que sinto por você. Acho que vai demorar até que eu pare de me preocupar e encontre outro pensamento para colocar no lugar. Tudo bem.

Eu poderia gritar para todos os lados, poderia investigar seus passos, poderia perseguir as fotos que você curtir, poderia perguntar para os seus amigos e te vigiar na saída do trabalho; eu poderia fazer um monte de coisa só para descobrir como está sendo a sua vida sem a minha, mas se eu fizesse isso não ia fazer com que você repensasse sua decisão e só faria eu me sentir idiota por te pressionar a pensar melhor no que julgou ser o melhor para nós dois.

O tempo vai me ajudar e também vai funcionar para você.

Querer de volta é querer sofrer.
Ou seja: deitar nessa cama, reler suas mensagens, rever nossas fotos e qualquer outra coisa que eu faça para te deixar mais perto de mim não vai te fazer voltar, tampouco me fará mais feliz. No fundo, eu sei.

Como tem sido para você?
Também não quero me punir por imaginar isso.
Eu já engoli o peso dos fatos e a verdade de que voltei a ser um só, mas ignorar o sentimento que nasceu em mim por ti e a pessoa que conheci em você seria um erro.

As pessoas não saem da nossa vida, só saem dos nossos dias.
Você é uma pessoa do bem e isso é o que me faz te desejar sempre o mesmo bem.
E sei que falando assim pareço conformado até demais e pode até levantar uma suspeita de que eu também queria um fim, mas não é isso, eu tenho buscado força na certeza de que eu sempre fui o melhor de mim para você; assim como serei para a próxima pessoa que eu conhecer.

Como tem sido para você?
Para mim tem sido difícil, se bem que nunca achei que fosse fácil.
Só que eu já passei por isso. Eu já chorei outras vezes antes dessas que choro por você.

E continuei aqui.

Márcio Rodrigues.

5 Comments

  1. “E continuei aqui. ” :”( ♥
    O texto acabou comigo, mas está muito, muito, muito lindo!
    Parabéns!

  2. “As pessoas não saem da nossa vida, só saem dos nossos dias.”
    Tudo permanece, e só estamos aptos a suportar os dias um pouco mais vazios quando temos a certeza de que fomos os melhores de nós pra aqueles que nos deixaram. Não diria que é esperança, acho mesmo que seria redenção.
    Eu ainda importo e a certeza de que o que foi meu foi realmente meu do início ao fim faz com que, inevitavelmente, meus olhos nunca cruzem irrelevantes aos dele.
    Saber como tem sido pra ele faz, de maneira irônica, que o que esta sendo pra mim possui legitimidade e que não estou sozinho em pensar e sentir algo bom. Parei de ignorar as dúvidas e o sentimento que restou pelo simples fato de que o que restou também foi bom e estamos firmes e “ilesos” agora.
    Saber como tem sido pra ele é aceitar que acabou, mas ainda sim é assumir que existiu. Eu disse que tudo permanece.
    Márcio Rodrigues, continuamos aqui.
    Obrigado pela leitura. Texto sensacional como sempre!

  3. Acho que me tornei indiferente, segunda vez que passo por isso, e a segunda fiquei como pedra, depois passa, se apaixonar e ter o “borboletismo” faz parte da vida e é muito gostoso.

    Bom texto Márcio ✌❤

  4. Eu sempre faço essa mesma pergunta:

    – Será que você está feliz? Como estão seus planos? Está tudo bem?

    É engraçado vivermos do lado de alguém por bastante tempo, e como um passe de mágica, viver como se fossemos meros estranhos, e o pior estranhos que já se tornaram íntimos. Mas enfim…

    Está ótimo o texto.

    • Márcio Rodrigues

      20 de novembro de 2017 at 21:29

      Muito doido isso mesmo, né? A vida prega cada peça na gente. Ela simplesmente acontece.

      Desculpe a demora em responder, mas são muitos comentários!
      Obrigado por ler,
      abraços!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*