Parece que quanto mais velho a gente fica menos tempo a gente tem.
Mas a verdade é que a gente passa a valorizar as coisas de um jeito diferente.
O tempo de folga em casa depois de um dia de trabalho, por exemplo, se faz raro e indispensável.
Mas nessas de valorizar algumas coisas, a gente passa a desvalorizar outras.
A gente passa a encontrar menos as pessoas que gostamos. E contamos com a conveniência para esses encontros. Encontrar em um show, em um jogo, no shopping. Sempre sem querer, nunca combinado.
Agora, lembra como era na época da escola?
Ainda na aula a gente combinava de encontrar nossos amigos depois.
E depois da gente se encontrar, a gente ainda combinava que horas entraríamos no MSN.
A gente fazia de tudo para ficar o máximo de tempo possível com nossos amigos.
E aí a gente cresce, começa a trabalhar, pagar contas e tudo fica para depois.
A gente faz sem querer, não é por maldade do tipo: “quero que se foda”.
A gente só se prende no gigante “VAMOS MARCAR”.  E nunca marcamos.
Passa um dia. Passa uma semana. Passa um mês e nada de marcar.
E tem aqueles amigos que a gente só vê no dia do aniversário. É bem triste.
A gente poderia tentar mudar isso e começar a ficar mais perto dos nossos amigos de alguma maneira.
Às vezes ficar perto é só mandar uma mensagem no whatsapp e perguntar sobre a vida.
E até disso a gente esquece no meio da rotina toda. A gente esquece muito.
Há quem diga que é sobre priorizar, sobre realmente levar a sério e tomar alguma atitude.
Eu não vou dizer que erra aqueles que pensam assim, mas não é apenas sobre isso.
O que eu proponho aqui é que a gente faça uma reflexão sobre nossos esforços para conversar com nossos amigos.

Será que estamos conversando com eles? Será que estamos tomando alguma iniciativa ou nos escondendo atrás de desculpas? Será que a gente se esconde atrás dos likes que deixamos nas fotos deles? O que será que acontece com a gente que não conseguimos mais ver ou conversar com nossos amigos? Por quê a gente some? Por quê eles somem?

A gente devia tentar conversar mais com nossos amigos. Fazer mais perguntas que eles não esperam que sejam feitas. Procurar entender mais o que eles estão vivendo, se há dúvidas, se há certezas demais e outras coisas do tipo.

A gente poderia chegar em casa e, ao invés de assistir uma série, mandar uma mensagem. E olha que nem falei telefonar. A gente poderia mandar uma mensagem e reservar os próximos minutos para atualizar da vida um do outro. A gente poderia pelo menos tentar.

Nós temos um papel especial na vida daqueles que chamamos de amigos.
A gente brilha os dias e temos o poder de transformar sentimentos, reverter intenções, levar novos sabores para antigos gostos. A gente pode, definitivamente, ressignificar a vida dos nossos amigos. E o mais legal disso tudo é que não precisa de muito porque dá para começar com a nossa atenção. A gente pode começar conversando.

Eu não sou um exemplo perfeito de quem faz isso. Como qualquer pessoa, também me enrolo em compromissos e horas de folga e me esqueço de verdadeiramente conversar com meus amigos, mas tenho tentado mudar. Tudo o que estou escrevendo aqui é para que eu possa pensar também.

Então vamos tentar conversar mais com nossos amigos?
Conversar de verdade?
Qual foi a última vez que você realmente conversou com aquela pessoa que você considera muito?
Rola seu histórico no Whatsapp e veja que merda. Tem pessoas super importantes lá no último lugar na lista de conversas – enquanto a gente perde tempos em grupos aleatórios ou em conversas que só nos machucam.

Olha que droga: a gente não tem tempo para encontrar ou conversar com aqueles que sempre nos fizeram tão bem, mas gastamos MUITO tempo da nossa VIDA com aqueles que nos fazem mal, correndo atrás de quem está CAGANDO pra gente. Tem coisa errada nisso tudo.

Vamos tentar encontrar mais os nossos amigos, tentar ficar um pouco longe do celular quando isso acontecer – isso funcionava tempos atrás. Vamos ouvir mais o que nossos amigos tem a contar.

A gente não vai conseguir mudar o passado, mas se a gente conversar mais com nossos amigos a gente pode mudar o futuro. E eles podem estar precisando de alguma direção que só a gente pode ajudar.

Tudo bem?
Converse com seus amigos. Se tiver muito tempo que não falam vai parecer estranho no começo, mas depois vai fazer bem pra caramba. Pensa um pouco, reserva um tempo, chama para falar. Tenta marcar algo, mas se não der, puxa um assunto pelo celular. Só tenta fazer alguma coisa.

Eu vou tentar por aqui também.
A gente vai ganhar muito com isso.
E, principalmente, não vamos perder.
Nossos amigos.

por Márcio Rodrigues.
umtravesseiroparadois@gmail.com
@marciorodriguees