Pera, comecei péssimo.
Vou mandar de novo.

1 [ deleta clicando na lixeira ]
2 [ clica no microfone, arrasta para cima para manter gravando ]

Então, bom, antes de qualquer coisa, desculpa mandar áudio, mas os imprevistos estão fazendo a gente demorar para se encontrar e eu não consigo mais guardar isso pra mim. Pesado falando assim, né? Você vai entender. Espero não estar atrapalhando e não precisa ter pressa para responder.
Tá, então, porque esse áudio.
Eu nem lembro direito: você odeia áudios, né? hahaha comecei mal.
Nossa, minha voz tá estranha, não repara.
Bom, voltando, queria te falar algumas coisas mas posso já resumi-las em um sentimento: estou com saudade.
Vai ser difícil continuar falando sobre o que sinto por áudio porque esse treco é ao vivo né, então não vou a chance ter control+z – só para explicar caso eu me engasgue. Mas ok, vou retomar, você me conhece e sabe como me distraio.
Estou com saudade de você.
E depois estou com saudade da gente.
E depois estou com saudade de como eu sou quando nós somos a gente.
E tudo isso ao mesmo tempo.
Só que antes de falar sobre a saudade, eu quero falar sobre os erros.
Me desculpa.
Quero te pedir desculpas.
A gente, não eu e você, a gente como ser humano tem um problemasso em pedir desculpas sobre as coisas. E tá na cara que isso tem a ver com a nossa dificuldade em aceitar que erramos. Eu fui meio assim com você. Desculpa pelos meus excessos e minhas ausências porque eu sei que errei na mesma medida. Desculpa pelas vezes que te fiz sentir alguma coisa ruim.
Não acho que só esse pedido vai ser capaz de te fazer me desculpar, por isso, eu realmente quero que a gente se encontre, mas como todas as tentativas não deram certo até agora e logo você vai viajar, eu queria pelo menos te falar sobre o quanto pensei nessas coisas todas.
Eu sinto a sua falta. Sinto que sinto menos coisas boas quando você está longe. Parece que sempre está faltando alo. As coisas que a gente ri juntos não tem a mesma graça sem você. Eu, de verdade, sinto a sua falta. Sabe, – é estranho falar de algo assim por áudio mas vou continuar; sabe, é louco o que a gente sente no segundo seguinte que a gente fala sobre as coisas que a gente sente. Fica até mais fácil entender como terapia funciona. É que aqui, agora, te pedindo desculpas e falando sobre a minha saudade, sinto o quanto isso é forte em mim. Até me falta um pouco de ar hahaha estou ridículo, desculpa. Tá, não vou me prolongar muito mais, esse áudio é para ser uma introdução de algo que ainda quero te falar pessoalmente. Bom, tá, só terminando: foi você ficando longe que eu percebi como me fazia bem te ter por perto – que clichê, né? Mas é verdade. Eu sinto falta de tudo. E, por mais que, de repente, você não sinta nada disso, eu insisto sobre o quanto gostaria de falar isso pessoalmente por que é real. É que não quero parecer que estou me escondendo. Ainda que tudo que eu disser não te faça pensar a respeito, eu preciso te dizer que você foi a melhor notícia dos últimos tempos na minha vida; preciso te dizer que você me faz ter vontade de viver a minha vida de um jeito melhor e aproveitando cada minuto dela; preciso te dizer, ou melhor, preciso te agradecer por tudo o que você já me disse, por toda a companhia e por me fazer acreditar que eu sou uma boa pessoa, apesar do mundo todo tentar me destruir aos poucos. É por isso e muito mais que te peço desculpas e sinto tanta saudade de você. Eu, de cara, entendo totalmente se você não aceitar nada do que estou falando, mas estou sendo agora a pessoa que você me ensinou a ser: quem prefere contar o que sente do guardar e deixar apodrecer – é meio essa a frase, né? Não sei se o que falei em tudo aqui faz sentido, estou falando meio sem parar e sem prestar atenção nas pausas. Vai ser horrível ouvir tudo isso depois – porque eu sou desses. Puts. Olha o tamanho desse áudio, me desculpa, vou parar. Prometi que ia ser rapidinho, mas não consigo ser rápido na hora de falar sobre o bem e a falta que você me faz. Quero te ver.

por Márcio Rodrigues.
umtravesseiroparadois@gmail.com