Eu acho que nunca vou conseguir te dizer tudo isso pessoalmente.
É covarde, eu sei, mas eu acho que não vou.
É que eu acho que você se assustaria e já passei por isso antes.
Já aconteceu de eu falar o que sentia por alguém e esse alguém reagir de uma forma não muito boa; agir sei lá, meio que em desespero tentando medir as palavras para não me machucar. Eu fiquei pior. Naquela ocasião eu só contei o que eu sentia e não o que deveria acontecer. Eu não coloquei uma faca no pescoço, eu só disse que gostava dela. É complicado.

Eu queria te falar que tenho pensado muito em você. Vou explicar.
Parece que seu papel na minha vida se transformou um pouco. Meio que do nada, juro para você, passei a te ver com os olhos do coração e não mais só com os da visão. Isso significa que comecei a querer ficar mais perto de você e me deu vontade de te falar coisas que você merece ouvir.

Para começar, eu gostaria de te falar que você é uma pessoa incrível. Que é valioso demais ver o seu esforço para conquistar o que deseja e que você me motiva muito, mesmo sem saber, a conquistar as coisas que eu quero. Você merece ouvir que motiva alguém nesse mundo. Preciso te falar também sobre o quanto te acho uma pessoa linda. Uma pessoa linda por todos os lados, um sorriso que dá vontade de morar nele, um jeito de mexer no cabelo que eu ficaria assistindo mais tempo do que assisto meu seriado preferido e um jeito de ver o mundo que faz com que os problemas não pareçam tão pesados quanto são. Louco, né? Do nada, juro.

É que você não faz ideia do bem que faz.
Agora me diz, como te contar isso tudo pessoalmente sem você se assustar? Impossível. Engraçado que nunca planejei contar coisas ruins, o problema é justamente quem me ouve dizer coisas boas. Pelo menos foi isso que aprendi com outras reações. Quando eu falei para uma garota que eu a amava, ela quis ir embora na hora. Eu sei que a peguei desprevenida, mas ela só poderia dizer que gostou de saber disso, ao invés de tentar fugir com medo de me encarar, sabe? Não foi legal para mim.

As pessoas que contam o que sentem para outras não merecem ser diminuídas ou tratadas com piedade. Contar o que se sente para alguém é um ato de nobreza. Não há como descrever o valor que há em alguém que para algumas horas do próprio dia para dizer a outro alguém que não consegue parar de pensar nos dois.

O mundo anda estranho e eu só queria andar com você.
Eu queria que você visse em mim um pouco mais do que já vê, queria que me visse como alguém que poderia te fazer se sentir bem na vida, na felicidade, na dor, no amor, na cama, na praia, no sonho, no sábado de manhã, no cinema, nas boas e nas más notícias. Eu queria dizer que te entendo. E que mesmo que eu não consiga, que eu vou tentar. E que mesmo que tentando eu ainda não consiga, eu vou estar lá. Pelo menos para te ouvir. Eu queria te dizer que eu não esperava te ver assim também, mas que por algum motivo eu passei a sentir que poderia te ajudar a se equilibrar nesse mundo tão desequilibrado; senti que eu poderia te fazer sentir como sempre quis com um abraço para fugir e um beijo antes de dormir. Eu poderia e eu posso. Eu queria te falar essas e outras tantas coisas.

Você é uma pessoa especial. Sua coleção de dias ruins já está cheia demais. Eu queria te ajudar a organizar tudo, guardar um pouco, esvaziar uma parte e colocar mais dias bons na sua prateleira para você ver e lembrar antes de dormir. Eu queria te mostrar que a decepção não é padrão. Eu queria te falar tudo isso mas, como eu disse, eu não consigo porque tenho medo de você se assustar, entre outras coisas. Então eu escrevi. E estou aqui para te provar tudo o te fiz ler.

Eu estou aqui.

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees
umtravesseiroparadois@gmail.com