Gostei de ontem.
Mas como eu posso te falar que eu quero te ver de novo?
Não é só falar e simples assim. Quem pensa dessa maneira muito provavelmente nunca se viu nessa minha situação.
As pessoas são complicadas. Não dá para esperar que elas entendam nossas intenções como a gente gostaria.

Eu gostei de tudo o que a gente viveu mesmo que tudo nem tenha sido tanto assim para você.

Eu queria te ver de novo mas eu não queria te assustar.
Com outra pessoa antes de te conhecer, eu abri o jogo e ela sumiu. Eu não sei precisar o que ela entendeu, mas eu só consigo imaginar que ela imaginou que, entre meus planos, fazer mal a ela era o principal. É que essa pessoa só parou de me responder. A gente chegou a se falar no mesmo dia depois que cheguei em casa, mas ela não correspondeu mais as minhas interações. E eu me senti invadindo a vida dela.

O problema de uma relação sem transparência é que a gente passa a questionar coisas na gente que não cabem questionamento. Ou seja, o problema dessa pessoa não ter sido clara comigo ao invés de me ignorar e fugir, é que eu começo a duvidar de que estou sendo delicado e verdadeiro com as pessoas como acredito ser.

A gente nunca sabe direito da profundidade das sequelas que deixamos na vida das pessoas que não estão mais na nossa vida.

E é por outros exemplos que vivi como esse que te citei, que sinto meu sentimento por você abreviado.
Eu queria te ver de novo.
Antes de saber se eu vou gostar de você mesmo ou se você vai gostar de mim, eu só queria te ver de novo. Marcar outra coisa ou marcar a mesma outra vez.
A minha cabeça não para de me perguntar o que você acharia da ideia, o que você pensaria se eu te convidasse, afinal, eu devo considerar as outras pessoas que você conheceu antes de mim e a amostra não é boa.

Somos uma geração inteira de pessoas pisoteando o coração de outras onde fica praticamente impossível confiar que uma nova pessoa não vai fazer a mesma coisa.

E aí que eu me encontro.
Como que eu posso te provar que eu só queria te encontrar de novo pra gente ver até onde a gente daria? Mesmo que não desse em nada? Meu medo faz sentido, bem como a sua preguiça é legítima.

Eu queria te ver de novo.
Queria sentir aquela coisa boa que senti depois de ontem. Queria ter uma nova oportunidade para tentar te fazer sentir de um jeito positivamente inédito, nem que fosse sei lá, tomando um suco. Queria confirmar a impressão que tive de que você gostou de ontem tanto quanto eu. Queria voltar para aquele sentimento que eu tive momentos antes de te encontrar – você não sabe o quanto falei sozinho de nervosismo. Queria de novo o gosto que senti quando voltei pra casa pensando no que aconteceu e como aconteceu. Aquele instante foi meu e eu salvei numa pasta de fácil acesso na minha vida. No fundo, no fundo mesmo, real oficial, eu queria ter de novo aquele nosso beijo só para eu poder te beijar de um jeito diferente de ontem. Eu sei que, caso a gente se encontrasse, não necessariamente você ia querer de novo. Você poderia não se sentir a mesma coisa e a verdade é que nem eu também. .

Tem histórias que simplesmente não se encaixam, mas antes de ter certeza, eu queria te deixar com essa dúvida sobre a gente.

Eu queria te ver de novo.

Márcio Rodrigues
umtravesseiroparadois@gmail.com