Eu te fiz ir embora

Foram vários motivos para o fim, mas a maioria deles são exclusivamente provocados por mim.
O problema é que eu demorei muito para enxergar.
Eu te fiz ir embora.
Abri mão de você logo depois que abriu seu coração para mim.
Me acomodei, sei lá, não soube lidar com nós dois.
Havia me acostumado tanto em te ter que pensei que jamais você partiria.
Eu errei de uma maneira que eu tenho até vergonha de assumir.

No seu lugar eu aguentaria muito menos.
Não ia conseguir te ouvir falar as coisas que te falei.
E não ia conseguir aceitar qualquer desculpas, como tantas minhas que aceitou.

Hoje está muito claro para mim o tamanho do nosso fim.
Comecei a me esbarrar com uma saudade sua nos lugares mais básicos.
Do nada passei a encontrar sua lembrança na fila da padaria, na estreia do cinema no refrão que eu amava.
Aliás, eu passei a odiar refrões que você me ensinou a amar – e a culpa é minha.

Eu que te fiz ir embora.
Você fez o certo em escolher ir.
É claro que eu mereço uma pessoa maravilhosa, jamais diria que não merecia alguém como você, o problema é que eu não consegui te valorizar completamente.

Quando a gente tem uma coisa a gente não se imagina sem ela, né?

Você aguentou demais.
Você me esperou demais. Você tentou demais e me deu tantas chances que eu não conseguia perceber.
Ontem eu reli algumas conversas nossas antigas e nelas eu encontrei uma versão minha que desconhecia.
Encontrei impaciência, encontrei grosseria, encontrei ciúmes que aleguei nunca sentir.
Encontrei em mim as coisas que eu te dizia odiar nas pessoas. Veja só.

É por isso que para mim eu que te fiz ir embora.
Te afastei de mim. Com tanta energia nos defeitos, te fiz esquecer das minhas qualidades.
Eu não sei exatamente o que aconteceu, não houve nada específico, algum motivo exatamente tangível.
Você não me fez especificamente algo que me fizesse descontar tanta coisa.
Te fiz ir embora porque eu não parecia mais gostar de quando você ficava. Olha o tamanho da merda.
Entre tantos erros meus, os piores foram os menores.
Passei a te tratar de um jeito que me arrependo tanto. Como que eu pude falar coisas tão horríveis e de um jeito tão péssimo para alguém que eu respondia “também” ao ouvir que gostava muito de mim?

Eu mereci você mas não soube te administrar e me perdi.
Você foi embora por motivos nos quais concordo completamente.
Incrível ter aguentado tanto tempo.

Queria poder voltar atrás, mas seria muito confortável para mim apagar tudo feito borracha – ao contrário de você. Mas vai saber, quem sabe a gente não se encontra de novo para eu te contar das lições que aprendi depois da sua ida, porque no minuto seguinte que me senti sem você eu percebi a falta que isso me faria.

E ainda faz.

por Márcio Rodrigues
umtravesseiroparadois@gmail.com
@umtravesseiroparadois

@marciorodriguees

4 Comments

  1. Quando vamos parar de perder para depois dá valor.
    Hoje, agora, neste momento.

    Chega de deixar a vida e a felicidade de estar vivo escapar por entre nossos dedos.

    Beijos, boa noite.

  2. Que texto ! e que palavras, gostaria de compartilhar um poema meu com vc Márcio, vc é do tipo de pessoa que com certeza sentiu o que eu sinto.
    Grande abraço !

    • Márcio Rodrigues

      20 de agosto de 2018 at 21:56

      Oi Daniel, que bom que gostou.
      Pode mandar texto para o Facebook do blog que eu sempre respondo. 🙂

      abração!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*