Imagina o que a gente pode fazer juntos?
Imagina cada resistência de chuveiro que a gente vai penar para trocar?
Imagina que dupla seria você pedir a pizza e eu descer para buscar?
E as comidas que a gente pode aprender a fazer assistindo vídeos do Youtube?
Imagina eu te falar para virar a direita e você acabar virando a esquerda e mesmo assim a gente chegar lá? Imagina juntos?
Eu não sei se a gente revolucionaria a vida um do outro juntos. Não acho que essa é a intenção da coisa toda. Pra mim, é perigoso pensar assim porque a gente acaba depositando uma responsabilidade gigante em alguém que nem sabemos se está preparadx para isso. Por exemplo, eu não posso esperar que você retribua as coisas que eu faço por você por melhores que sejam. Você não tem obrigação e eu não posso esperar por isso. Só que isso não me impede de fazer. Eu gosto e só faço e o mesmo se aplica a você. Você só é e eu só sou. A gente não pode cobrar um do outro algo que a gente não sabe se estamos prontos para oferecer ou receber. Não é bem por aí. Em qualquer relação nós somos o espelho de quem sempre fomos. O que acontece é que a vida segue normal até alguém cruzar nosso caminho e propor uma pimenta no pastel que a gente sempre come igual. E a gente aceita a sugestão. E fica ótimo. E olha a surpresa: existe alguém que pode melhorar o que era bom – ou para colocar sabor no que nem parecia ter mais de tão igual. Existe alguém que pode acrescentar na nossa vida por justamente ser diferente da gente. É sobre isso. É sobre você seguir bem por aí e eu bem por aqui, lidando com os dias bons e ruins mas, imagina juntos?

Imagina a gente gostando de ser quem somos um para o outro sem a pressão de impressionar? Imagina podermos dizer um para o outro o que pensamos e como vemos o mundo sem o julgamento de ser certo ou errado? Imagina a gente achar que sempre estivemos certos em algo e um de nós discordar e nos fazer ver diferente? Imagina a gente achar que sempre estivemos errados em algo e um de nós discordar e nos fazer ver que temos razão? Imagina a descoberta diária, semanal, mensal e anual que vai ser a gente participar da vida um do outro? Imagina, sei lá como, a gente acaba descomplicando a vida um do outro e tornando o que sempre pareceu impossível em algo simples e até óbvio?

Imagina você descobrir que eu ronco um pouco a noite e eu descobrir que você fala dormindo? Imagina a gente conhecer as manias um do outro? Que você prefere o lado direito da cama e que eu não como a borda da pizza? Pera aí: como você come a borda da pizza?

Imagina a gente vai assim, com carinho, cuidado e proteção, aos poucos, sem pressa para acontecer mas com vontade de viver, indo diariamente no posto de paciência do nosso coração para mantê-lo abastecido a fim de respirarmos mais antes das brigas, pegando carolinas de doce de leite além dos três pães diários da padaria. Imagina?

Dá para a gente imaginar também toda a parte ruim de imaginar a gente junto, mas a gente não precisa sofrer por antecipação porque energia ruim não precisa de atenção. Então, pode ser uma boa a gente imaginar a parte boa, cuidando de cada pedacinho do tijolinho que é construir uma história a cada dia.

Você funciona bem sem mim, eu funciono bem sem você, ninguém depende de alguém para funcionar, mas imagina como como funcionaria e quanta coisa a gente consertaria um no outro com a gente juntos?

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees
umtravesseiroparadois@gmail.com
_______________________________________
CANAL NO YOUTUBE!
 CLIQUE AQUI, assista aos vídeos, comente e inscreva-se. 🙂

PLAYLIST OFICIAL:
Todas as músicas que ouço para escrever os textos estão NESTA PLAYLIST.