Já beijei outras bocas depois da sua

Pois é, logo eu que tantas vezes saí falando que você era “insubstituível” que não saberia viver sem você, etc.
Eu sei viver sim e vou te dizer que melhor do que eu pensava.
Tipo, confesso que levei um tempo desgraçado pra encontrar um lugar na minha vida pra te deixar lá. Até por quê se tem uma coisa que eu não quero é te esquecer. Nós vivemos coisas bonitas e isso me fez bem. Mas aí encontrei um cantinho pra te encostar e comecei a viver os dias ao invés de deixar com vivessem em mim.

Bom é transformar a saudade em lembrança pra guardar.

Um ponto interessante é o que eu pensava que aconteceria mas não aconteceu: não passei a te comparar com outras pessoas. Consegui diferenciar o que eu sentia com você do que eu passei a sentir em outros lábios. E bem, sim, também dormi com outros corpos. Foram boas noites. Acheu graça em outras formas de despertar e até achei fofo outros rostos amassados no travesseiro. No fim das contas outras pessoas conheceram a minha conchinha que jurei ser eternamente pra você. E vou te dizer que bem que gostaram. Eu mando bem.

Apesar de eu não me importar muito mais com o que pensa de mim, saiba que eu não tratei de sair por aí despeserado buscando em novas pessoas motivos pra te esquecer. As coisas realmente, como diz o clichê, as coisas realmente aconteceram. Basicamente assim. É claro que muito se deve ao fato de eu ter começado a me permitir mais. Afinal, compreenda, eu é que não ficaria em casa dando repeat nas músicas que a gente ouvia juntos, muito menos ficaria revendo os seriados que gostávamos. Não mesmo. Mas por falar em seriado, deixa eu te contar, eu bem que continuei a ver aquele que você amava. Vale dizer também que no começo estranhei não ter você ao lado pra comentar, algo que durou até eu me acostumar com a companhia da ocasião que eu tinha pra compartilhar. Sabe, alguma daquelas bocas que mencionei. E alguns corpos também. E enfim.

Engraçado que eu tinha certeza que você era insubustituível. Lembra?
Pra mim estava muito claro que você era a pessoa com que passaria o resto da vida. Louco, não? Nosso maior amor da vida existe até aparecer outro maior amor da vida. E que coisa boa, nesse caso, foi me enganar. Errei e errei feio. Faltei te propor um cartório pra gente já oficializar esse acordo de viver um na vida do outro de tão certo que eu estava do nosso futuro. Se tivéssemos feito algo sério do tipo, hoje eu certamente estaria à sete palmos do chão de tão arrependido.

Você tem seus méritos.
“O tempo vai ser bom pra nós dois” – lembro dessa sua frase como aquele verso famoso que diz que mudaram as estações mas nada mudou. Só que eu mudei. Fazendo jus ao que disse, o tempo realmente foi bom pra mim, não sei tanto quanto à você, mas penso que sim tendo em vista que essa sentença foi uma escolha sua.
Retomando, esse negócio de tempo faz bem mesmo, né?

Foi só te ver de longe que comecei a me ver de perto.

Deixa eu falar mais um pouco sobre as certezas que eu tinha.
Meus pais estavam acostumados com a sua presença e já tinha até falado aquilo bonito do tipo  “você já faz parte da família”. Era bonito sim, vai? Acontece que algumas dessas bocas que já beijei chegaram bem perto desse mesmo estágio que você. Minha família recebeu super bem a ideia de novas pessoas me verem como uma boa pessoa. E nem ouve aquele saia justa de confundir os nomes com o seu. Foi tudo, como dizem, tudo “sussa”.

Pois é, logo eu que tantas vezes pareci cego ao ficar praticamente de quatro por você de tanto que eu fazia questão de demonstrar que te amava. Logo eu, logo eu estou aqui vivnho da silva, com mais um montão de história boa pra contar. Contente pelo que vivemos, mas feliz pelo que ainda vou viver.
Meu coração tem lidado bem com essa mudança. No começo é difícil, né? Mas depois de um tempo ele começou a entender que se me fazia bem, era o que importava.
Já beijei outras bocas depois da sua. E elas gostaram do meu beijo. Aquele mesmo que você dizia gostar.

8 Comments

  1. Texto que mais me descreveu até hoje. Incrível, parabéns.

  2. que texto triste, me senti mal. namoro atualmente e não me senti muito confortável lendo aqui.

    • Márcio Rodrigues

      26 de novembro de 2014 at 20:32

      Talvez por não ser indicado para alguém que está namorando, sabe?
      Mas obrigado por comentar e se ler outros textos, espero que goste.

      abraços!

  3. Texto maravilhoso! Você consegue descrever o que está nos corações de muitas pessoas, e essas não sabem como demonstrar. Lendo isto, nos identificamos e ao mesmo tempo nos aliviamos por saber que alguém realmente nos entende, sente o mesmo e consegue demonstrar de uma maneira maravilhosa: escrevendo. Muito obrigada por me proporcionar leituras maravilhosas! Espero que continue escrevendo por muito tempo, cada texto é um aprendizado! Beijos, sucesso!

    • Márcio Rodrigues

      14 de dezembro de 2014 at 13:37

      Que belo comentário, Anni.
      Fico feliz por gostar e obrigado pela análise tão fria dos meus textos.
      Volte sempre. <3

      beijos

  4. Angélica Casselli

    9 de dezembro de 2014 at 15:47

    Quem nunca, né Márcio?
    E, cara… Você escolheu SUPER COMBO para a trilha sonora!!! <3
    Parabéns, amo tua sensibilidade.
    Abraço!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*