A gente vai combinar como vai ser o nosso fim de semana e confirmar se tem algo com amigos que esquecemos de marcar. Durante a semana, porém, poderemos nos encontrar para ir ao cinema na terça e talvez jantar algo na quinta-feira. Vai depender dos nossos horários.

Quando você chegar a gente vai organizar uma viagem, viu?
Eu ainda nem sei para onde mas a gente tem o mundo inteiro para escolher.
Mas pode ser até mesmo ali na cidade vizinha que a gente mal da atenção.

Eu vou precisar te ouvir falar algumas coisas quando você chegar.
É que vai ser importante para mim te conhecer sempre melhor. Precisarei saber se você prefere camomila ou erva-doce para o chá, se é açúcar, adoçante ou nada no café; se o pão na padaria é branquinho ou queimadinho. Se o chocolate é com mais ou menos cacau. Não é sobre só te conhecer melhor para entender a forma como vê o mundo, mas também as coisas que faz para melhorar o seu dia; coisas nas quais eu posso fazer alguma coisa para ajudar.

Quando você chegar a gente vai combinar coisas do tipo “O tempo vai ficar feio no fim de semana. Vamos ficar assistindo séries?” E eu vou desligar a TV se você dormir no meio. Vou cobrir o pé que escapar no edredom.

Quando você chegar a gente vai poder sentar no sofá da casa que a gente morar e pôr a limpo todos os problemas da vida, os meus, seus e os nossos. Eu acho que vai ser bacana se a gente combinar de conversar muito, conversar sempre para sempre nos mantermos sadios e respeitando um ao outro. Me parece bom.

Quando você chegar eu vou te ligar para contar as notícias primeiro. Vou te falar sobre promoção profissional e promoção daquela marca que você adora. A gente vai conversar bastante pela internet e celular, mas eu vou fazer questão de te ligar algumas vezes para te ouvir falar – mas se você for do tipo que odeia telefone a gente combina outro esquema.

Quando você chegar a gente vai se dar bem. Vê como eu não falei que a gente vai ser feliz todos os dias? É uma promessa muito grande, né? É que se eu nem sei em que dia da minha vida você vai chegar, imagina então imaginar o que vai ser a felicidade pra gente? O que dá para garantir é que, se depender de mim, a gente vai focar sempre em conversar para resolver quando precisar, em cultivar o que sentimos de bom pelo outro e por nós dois e em nos mantermos gostando cada vez mais um do outro um pouquinho mais por dia.

Já é um começo, né?
Chega que eu te conto mais.

por Márcio Rodrigues
@marciorodriguees
umtravesseiroparadois@gmail.com