Seus pés são gelados, mas por mim tudo bem

Deixa chover lá fora, agora não importa.
Vamos deixar a chuva bater na janela antes da gente deitar.
Se você quiser, hoje eu deixo a conchinha começar de mim para você.
Vou ficar feliz se vez ou outra, assim no meio da noite,
você apontar que quer deitar no meu peito.

Deixa o mundo lá pra trás, pelo menos agora.
Da janela pra fora agora não importa.
Temos um ao outro aqui para falar sobre o que a gente gosta.
Podemos rir do passado ou podemos planejar o futuro,
qualquer coisa, desde que seja juntos.

Não fica com medo do escuro quando quiser ir ao banheiro.
Eu vou reclamar, mas você sabe que vou levantar para te acompanhar.
Você é assim mesmo e eu gosto da minha parte em aceitar o seu jeito.

Quando o edredom sair do seus pés no meio da noite,
eu deixo você pegar a minha parte para te cobrir.
Você não consegue dormir sem se mexer, você não consegue parar.
Você não consegue desligar e sonha tão alto que eu até consigo ouvir.

Por mim tudo bem a gente acordar para comer na madrugada.
Sabe como é né: nós fazemos as nossas próprias regras e
construímos a nossa própria felicidade.
Os bons costumes dizem que essas coisas não são elegantes,
mas o que eu acho elegante mesmo é você acordando amassada no travesseiro.

Você nunca percebe quando eu te fotografo no meio da noite.
E só eu sei o quanto me enrolo para disfarçar o flash.
É que eu gosto de registrar o jeito que você dorme,
para eu poder ver depois nos momentos que você não estiver comigo.

Seus pés são gelados mas por mim tudo bem.
Até porque eu só lembro disso quando uma das suas meias escapa.
Eu nunca fui atrás de nenhuma delas para você,
mas eu sempre tento te cobrir sem você perceber.

Quando você dorme ainda de maquiagem você reclama pra caramba.
Não gosta do jeito que acorda e eu dou risada,
pois nunca vi alguém falar que não acha bonitinho um panda.

Engraçado como a indiferença dói mas mesmo assim há quem não ligue.
Nós ignoramos o celular gritar para acordar e mesmo assim ele continua tocando.
E quando não é o meu, é o seu.

Você também reclama das suas imperfeições.
Diz que tem uma barriguinha a mais aqui,
diz que queria ter “mais peito” ali.
Mas por mim tudo bem.
Eu gosto da sua parte não perfeita,
pois pra quem esperava por alguém só pra conversar,
um barriguinha aqui ou “pouco peito” ali, não quer dizer nada.

E é mais ou menos isso o que acontece com a gente
antes, durante e depois de dormir.
Pensando bem,
talvez agora falando sobre isso faça algum sentido
toda vez que te elogio e você diz:
“obrigada, são seus olhos”.

São os meus olhos que veem a gente de um jeito nosso.

CURTA: www.facebook.com/umtravesseiroparadois <3

2 Comments

  1. Trilha sonora: melhor impossível. <3

  2. Como sempre lindo! Não é atoa que eu sou sua fã!!! rss
    Amo seus textos =)

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*