Eu queria dizer que sinto saudade sua.
Mas acho melhor não.
Eu queria dizer que queria que a gente voltasse.
Mas acho melhor não.
Eu queria te chamar para sair.
Mas acho melhor não.
Eu queria dizer que adorei ontem.
Mas acho melhor não.
Eu queria dizer que não quero mais.
Mas acho melhor não.
Eu queria dizer que você me faz sentir bem.
Mas acho que melhor não.
Eu queria dizer que aceito.
Mas acho melhor não.
Eu queria dizer que me arrependi.
Mas acho melhor não.
Eu queria dizer que estou a fim.
Mas acho melhor não.
Eu queria dizer que você estava certa.
Mas acho melhor não.

Em geral:

-Acho melhor não falar nada porque tenho medo da reação.

É uma lógica sobre o que não existe. Medo do que possa acontecer sem ter a garantia de que acontecerá. Medo refém do histórico de já ter vivido algo parecido antes. Medo de um futuro em que uma única possibilidade é cogitada: dar errado. Um espiral que destrói a nossa confiança.

Essas vontades que a gente segura nos deixam mais longe das coisas que a gente quer viver. Uma vez que não há como saber o que virá, fazer algo pelo agora é por onde tudo pode começar. Na prática:

-Eu não sei como vai reagir, mas preciso dizer que queria a gente de volta.

A gente precisa libertar nossas vontades, inclusive aquelas que podem levar alguma tristeza para alguém. Por exemplo, é necessário revelar que não quer mais nada com alguém. Esse alguém precisa saber disso. É justo e responsável.

Agora, especialmente, a gente precisa revelar as boas vontades.
Tudo o que alimenta a gente apodrece se guardado por muito tempo.
E assim é com os nossos sentimentos. Sequestrar uma revelação de arrependimento, por exemplo, pode causar sequelas sem ponto final. Deixar de contar que, entre todos os sentimentos possíveis, o que você sente é VONTADE DE FICAR COM A PESSOA HOJE E POR VÁRIOS OUTROS HOJES, por assim dizer, é autorizar que a sua vida estacione e enguice.
A gente não deve segurar nossas vontades.
Conta que você gosta. Que sente falta. Que quer algo a mais. Que gostou de ontem. Que errou. Conta.

A gente nunca vai saber o que vai acontecer, mas a nossa motivação nunca deve ser a reação que a gente quer. Você não deve dizer nada esperando um sim ou não. Você deve dizer porque não deve guardar para você. O futuro é longe demais pra gente colocar nas mãos dele o jeito que a nossa vida acontece.

Coragem é atalho para o amor.
Coragem é energia para a vida.
Coragem é carinho com você – para que encontre um novo você a cada vez que conta o que sente, a cada vontade que liberta.

Segura na mão do coração para viver.
Não dá para cobrar o lado bom da vida sem permitir que ela aconteça.
Ser livre para expressar uma vontade prepara a gente para a dificuldade e a felicidade.

No mínimo, você vai desocupar seu peito para que outro sentimento bom possa chegar.

Depois comenta aqui embaixo o que aconteceu.
Um beijo.


Márcio Rodrigues
umtravesseiroparadois@gmail.com