Vem que eu quero ver

Você me parece ser mais uma daquelas que muito fala e pouco faz. Ou será que estou enganado? É mais ou menos o que tem parecido.

Ou você acha que eu não leio a sua atitude de curtir minhas fotos antigas?

Ainda não sei muito bem aonde quer chegar, mas se for em algum lugar que não tenha muita nem pouca luz, em algum lugar que não precisamos de hora para acordar, em algum lugar que podemos gritar sem ninguém para incomodar, talvez, eu também queira chegar nesse lugar. Vai saber.

Você gosta de me testar. Gosta de brincar para saber o que vou dizer. E muitas vezes eu não respondo de propósito, mas te dou a desculpa de que estava ocupado.

Se você quer, então vamos jogar.

No fundo a gente sabe bem o que os dois querem, mas existem uma mística por trás de tudo isso, quando na verdade eu é quem deveria estar atrás de você. Se é que me entende.
Eu sei que esse negócio de provocar faz parte, bem que eu gosto de receber suas fotos na beira da piscina ou de pijama antes de dormir, tanto é que vez ou outra revejo algumas delas para me aliviar um pouco já que você insiste em brincar. Acontece, ué.

E é por isso que eu te digo aquelas coisas, porque eu sei o jeito que você vai ficar e a sua repetição de exclamação não esconde a sua euforia: “Para!!!!” Por isso que eu te digo que só preciso de cinco minutos para te convencer a ter uma noite comigo. Por isso que eu te digo que me sinto um azarado por não estar no lugar do short do seu pijama toda a noite. Por isso eu te digo o que não estou vestindo enquanto conversamos.

Quero ver então até quando vai aguentar perder tanto tempo sem ganhar uma noite.

Da minha parte eu não quero acelerar as coisas, não é por aí.
É que já passamos dos vários tipos de conversa, já tivemos momentos fofos, já contamos segredos um para o outro e até ciúmes já sentimos, mas o que é bom mesmo a gente ainda não sentiu; o que é bom mesmo ainda não te fiz sentir. Mas é como diz o ditado né: tudo tem hora.

Eu só acho engraçado como você pensa estar sempre em vantagem. Acho engraçado você pensar que eu não percebo teus caprichos, as frases de efeito e as selfies que posta. E não que eu esteja me achando assim, você bem pode fazer tudo isso para outros fins, é que depois lá vem você me dizer se vi a foto que postou. Ou seja.

Enquanto for divertido, não me importo em continuar assim contigo.

Só espero que não venha reclamar depois de eu estar ausente. Eu também tenho outras prioridades e não será sempre que você poderá me ter. E eu sei que entendeu. Piada só tem graça quando os dois riem, então, por mim tudo bem você continuar me provocando assim, qualquer hora eu posso aparecer com outro motivo para te ignorar e você não poderá lamentar.

Você tem falado mais do que te vi fazer. Se vende como quem sabe o que quer e que não passa a vontade, mas aí do outro lado desse celular eu só percebo alguém se divertindo feito criança escondida. Sem ofensas, claro. O seu corpo não é de uma criança. Por outro lado, no entanto, provavelmente eu me divertiria no seu corpo feito criança num parque de diversões. Imagino seu perfume e até respiro mais devagar. Gosto das roupas que veste, mas gostaria mais delas no chão ao lado da minha cama. Curto as músicas que posta, mas música boa seria o som que o nosso corpo suado faria. Mas assim, não me leve a mal, claro.

Quando quiser, pode vir que eu quero ver. Quero ver na prática tudo isso que nunca cansa de dizer. Quero ver ao vivo o que os filtros das suas fotos tentam esconder. Quero ver comigo o que você já diz ter feito pela vida. Afinal, você gosta de provocar.

E eu gosto do que eu vejo em você, uma inteligência de se admirar e um corpo bom para me enroscar. Sem padrões de perfeições, sem cegueira pela capa da revista, mas um corpo seu, que o seu hidratante beija antes de dormir, que privilegiados acompanham no metrô e que eu tenho um espaço na minha cama e no box do banheiro para apresentar.

Enquanto nada evolui dessa conversa eu vou continuar aqui quietinho. Você também pode continuar por aí, mandando suas fotos e só imaginando como sou. Pode continuar tentando adivinhar como que eu puxaria o seu cabelo até gritar pedindo mais, pode tentar adivinhar como que eu te pediria para virar de costas para mim e de cotovelos na cama enquanto eu me encaixo devagar, pode continuar imaginando como que seria o meu corpo beijando as costas do seu, abrindo as suas pernas sem pressa e te mostrando que tempo é algo que não se deve perder pois a vida não espera para acontecer e sábios são os que preferem aproveitar do que jogar.

13 Comments

  1. …Eu vou pro mundo da lua ,que é feito um motel.
    Aonde os deuses e deusas, se abraçam e beijam no céu…

    Que texto…
    Mergulho de cabeça em cada palavra, vem que eu quero ver…
    Como sempre, arrasou.

  2. “Quando quiser, pode vir que eu quero ver. Quero ver na prática tudo isso que nunca cansa de dizer. Quero ver ao vivo o que os filtros das suas fotos tentam esconder.”
    Você sempre coloca no papel o que a gente não consegue expressar!

  3. Ual, que texto incrível!

  4. Roberta Roosevelt

    25 de agosto de 2015 at 22:21

    Eu amo os seus textos. São fodas!

  5. Uou, era exatamente o que eu precisava ler.

  6. Nossa incrível texto, mas enfim quem é o autor do texto ?

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*