Eu sei que tá foda.
Sei que parece que não dá mais para confiar em ninguém.
Sei que todo mundo se diz boa pessoa mas, sem demorar muito, se mostram pessoas horríveis.
Eu sei que tá foda.
Eu sei que tem sido difícil se entregar, que as pessoas andam brincando demais com os sentimentos. Eu sei disso e só sei disso porque sinto a mesma coisa e tenho as memas opiniões. Eu entendo você.

Eu sei que antes de mim já te disseram que gostariam de se dedicar por você, ou pelo menos algo parecido.
Sei que antes de mim você se permitiu viver coisas com pessoas que demonstravam querer cuidar de você, querer cuidar de vocês, mas que se mostraram pessoas mais dispostas a fazer sofrer e, assim, nada responsáveis com o que você sentia. Eu sei. Eu sei que até que eu consiga provar ser alguém legal, serei só mais mais um alguém em potencial para te machucar. A realidade é bastante cruel. O mundo mudou e hoje a gente coleciona mais histórias ruins do que boas, conhecemos mais pessoas para esquecer do que inesquecíveis. Eu sei. As coisas nunca foram fáceis mas agora se tornaram quase impossíveis.

Mas, se você quiser e deixar, eu gostaria de me dedicar pela gente. Eu entendo seus receios porque imagino que as coisas que estou te dizendo soam familiares de tempos antes de mim. Mas, assim como aqueles tempos são outros, eu não me sinto alguém igual aos outros. E isso não me faz alguém melhor que todos, pelo contrário, mas me motiva a te mostrar ainda mais quem eu sou.

Eu não consigo, porém, te provar que eu sou alguém diferente sem te fazer nada. Eu só vou ficar aqui falando e falando, mas eu não quero ser essa pessoa. Eu quero te mostrar. O único ponto para isso acontecer é que eu preciso de um voto de confiança seu. Eu quero me dedicar pela gente mas isso só vai funcionar se você quiser também, se você se permitir – mesmo com tantas feridas abertas antes de me conhecer -, se você avaliar como possível confiar na minha vontade de trocar seus dias ruins da vida por alguns bons. O que eu quero te mostrar é que grande parte das suas dores eu já sofri também. Que eu já mergulhei em histórias que me afogaram, que eu já acreditei em verdades que sempre foram mentiras, que eu basicamente vivi grande parte das bostas que você viveu mas que eu acho que isso sempre me preparou para fazer bem a alguém, tipo pela gente agora.

Eu não quero te assustar, tampouco te pressionar.
Eu só quero te mostrar que da mesma forma que você deixou de confiar nas pessoas – e com razão -, também pode ser bom quando a gente abre uma exceção. Mas eu só quero isso se você estiver bem. Hoje, por enquanto, eu sou só alguém com vontade de fazer bem a você, a mim e a nós, mas amanhã eu quero acordar ao seu lado e comprar pão enquanto você dorme mais um pouco. Eu quero me dedicar pela gente. Eu quero ver como a gente vai conseguir colorir os dias que pintaram de cinza. Eu quero ver como a gente vai rir do nosso passado e como vamos celebrar as chances que damos a nós mesmos para a vida melhorar um pouco.

Eu sei que tá foda, mas vai que juntos a gente não vê se fica um pouco menos?

por Márcio Rodrigues.
@marciorodriguees
umtravesseiroparadois@gmail.com
_______________________________________
CANAL NO YOUTUBE!
Agora, além dos textos, abri um canal no youtube para falar sobre relacionamentos. O nome é o mesmo, UM TRAVESSEIRO PARA DOIS, e o primeiro vídeo está no ar. CLIQUE AQUI, assista, comente se quiser e se inscreva! A ideia é que os vídeos não tenham edição nas falas, assim como não temos edição nas histórias do nosso coração.  🙂

PLAYLIST OFICIAL:
Todas as músicas que ouço para escrever os textos estão NESTA PLAYLIST.