Não foi um desejo meu.
Se a escolha fosse uma opção, eu preferiria ter tentado um pouco mais, apesar de sentir ter tentado tudo.
Você lembra?
Eu fui embora querendo ficar, mas fui porque pra mim não dava mais.
Cada minuto a mais que eu ficasse, seria um minuto a mais sem me reconhecer mais.
Percebi que comecei a aceitar coisas que eu não concordava só para você vencer as conversas. Porque parecia isso mesmo, você queria porque queria ganhar todas, me esfregar meus erros, destacar meus defeitos e sair por cima de todas as questões que a gente tinha.

Você queria competir enquanto eu não me importava em perder. Vê a diferença?

Você se esforçou muito para eu não querer mais que a gente continuasse.

Eu não quero que isso tudo se transforme em lavagem de roupa suja, eu só quero expor a minha parte da nossa história. Não quero que pareça que estou apontado o dedo para você e me colocando numa posição superior ou algo do tipo. Eu me sinto mal em entender que fui embora porque você não me deu outra alternativa. Não sei onde acabaria isso tudo se a gente continuasse.

O que está claro para mim é o que a minha cabeça conversa com meu coração. E a conclusão disso é que não dava mais para eu continuar e me submeter a lembrar tanto de você que só se esquecia de mim. Seria injusto para mim entrar na estatística que diz “mas a gente se gosta tanto”.

A gente se gosta sim. E muito.
Eu ainda sinto as mesmas coisas.
Eu não te deletei da minha cabeça – e nem quero.

Eu só não conseguia mais me sentir à vontade com a gente. Pelo contrário, muitas vezes eu me senti mal demais. Desde quando você aumentava a voz ou me xingava e depois falava que “perdeu a cabeça”, até você se importar tão pouco comigo e com as minhas coisas. A gente parou de funcionar e eu comecei a estranhar quando deixei de te admirar.

Você me fez não querer mais e a minha saída da sua vida foi uma escolha racional. Eu decidi isso. Fria e calculadamente, entendi que seria melhor eu seguir com meus defeitos e qualidades, mas sem você. Até porque você parecia não se empolgar mais comigo. Minhas vitórias nem tinham tanta graça. Minhas mudanças no visual passavam despercebidas, meus pedidos de opinião tinham recheio de grosseria. Isso não é o tipo de coisa que alguém de fora pode confirmar, isso é algo que eu comecei a observar e sentir com a gente. Demorei um pouco mas entendi que eu não preciso aceitar manter uma história sem um pilar que eu entendo como fundamental. O respeito acabou e depois que percebi eu fui embora – apesar de amar ter ficado por esse tempo.

De novo, isso tudo não é para te deixar mal ou me colocar numa posição melhor, eu só estou contando meus motivos para não querer mais, tendo em vista que entre todos nossos pontos positivos e negativos, foram os pertencentes ao segundo grupo que me fizeram ir embora.

Achei que tentei mais do que eu conseguiria mas você conseguiu me fazer não querer mais.

A gente tem coisas a aprender com isso tudo porque nossa história vai estar marcada nas nossas vidas, mas hoje eu já levo o orgulho de consegui me desvincular a tempo de não abrir minhas feridas e, você, quem sabe vai poder pensar com calma na parte que te cabe sobre manter alguém na sua vida, porque no começo eu queria, mas você me fez não querer mais.

por Márcio Rodrigues.
umtravesseiroparadois@gmail.com
@umtravesseiroparadois
@marciorodriguees