A gente se dá bem.
A gente se dá muito bem.
As nossas conversas se encaixam. Eu completo as suas frases. A minha opinião parece ser necessária para as suas conclusões. Você me procura quando parece que se perdeu. Você me pergunta quando não encontra respostas. Me vejo com um papel importante na sua vida, mas talvez eu queira ser visto com um papel especial.

Você me vê como alguém incrível mas não como alguém incrível para você.

E tudo bem, acontece. Qualquer pessoa está sujeita e se frustrar por menor que seja a expectativa. Eu não quero, de forma alguma, estragar a relação que temos e o quanto nos damos bem, muito pelo contrário, eu já pensei como seria se a gente melhorasse tudo isso, já pensei no que aconteceria se essa relação fosse ampliada. Pensei até entender e aceitar que você não me vê como eu gostaria.

O valor que tenho na sua vida é diferente do que eu gostaria. Só que lutar contra isso é escolher sofrer e eu prefiro me proteger. Eu sei de todas as outras bilhões de pessoas que existem no mundo e, se eu pudesse escolher, não seria sobre você que eu pensaria assim, mas aconteceu e me veio à cabeça a possibilidade de você me ver um dia de um jeito diferente do que me vê hoje.

Pensei como seria pra gente se todo esse nosso jeito de se ajudar terminasse em um beijo, além do abraço, na despedida. Já parei para imaginar como seria se todo esse bem que você diz que eu faço para a sua vida pudesse melhorar ainda mais com um papel especial nos seus dias. Eu não desvalorizo a nossa amizade, mas e se você me valorizasse como algo a mais? Eu fico pensando, sabe? Eu fico pensando até se você também já pensou.

Mas a verdade é que você não me vê como eu gostaria. Talvez por eu não fazer seu tipo mesmo algum aspecto ou, talvez, porque você simplesmente nunca parou para virar a chave e imaginar como seria ter a mim não só na sua vida, mas nos seus dias, nas suas noites, feriados e domingos de manhã. Pode ter a ver com isso. Pode ser sobre você nunca ter parado para me ver como alguém que pode te fazer sentir de um jeito que você sempre quis. Vai saber.

A gente se dá bem. A gente se dá muito bem.
Eu sei das suas outras histórias, você sabe das minhas e isso me faz pensar como seria viver a nossa, mas você não me vê como eu gostaria. Aceitei que, por enquanto, o meu lugar na sua vida existe para te ouvir falar das pessoas que somem depois que vocês ficam, dos beijos que dá, das mensagens que troca – e das ignoradas que recebe, das noite dormidas fora, dos abraços em outros braços, das experiências ruins, das boas, das pessoas que não se importam, entre outras coisas; aceitei que meu lugar na sua vida existe pra te ouvir falar de tudo isso e muito mais, mas menos sobre eu preencher um lugar para te mostrar que a vida nem sempre é como a gente gostaria, mas que eu poderia fazer muito mais coisas do que imagina para melhorar. Não tem a ver com eu me considerar melhor que alguém para você, mas sim pela certeza que sinto de que, justamente por a gente se dar tão bem, eu saberia como te fazer se sentir melhor ainda. Mas você não me vê como eu gostaria.

por Márcio Rodrigues
@marciorodriguees
umtravesseiroparadois@gmail.com