Você não precisa passar por isso

Você não tem obrigação de viver algo que não deseja. Não tem obrigação de fazer nada que te pedem. Você tem o controle da sua vida e das suas atitudes e ninguém tem o direito de te fazer passar de trouxa. Eu sei que muitas vezes esse tal de “passar de trouxa” é quase que inevitável, principalmente quando existe um sentimento envolvido. Afinal, tem vezes que apesar de saber que não devemos, acabamos fazendo o que não precisamos; acabamos respondendo a mensagem que merecia ser ignorada, acabamos adiando compromissos para aproveitar as chances de encontros, acabamos fazendo tudo o que é possível só para viver um pouco mais daquela esperança que alimentamos de ver as coisas dando certo.

Só que você não precisa passar por isso.
Você não precisa chegar em casa se sentindo mal. Não precisa dizer “tudo bem” se na verdade está tudo uma bosta. Não precisa ter a paciência de responder “Beleza, deixa para a próxima” Você não precisa fingir uma coisa quando sente outra. Não é mudando o seu jeito que a vida vai mudar para você e fazer as coisas funcionarem.

Você não precisa esperar que te ofendam para saber como é ruim ser ofendido. Você não precisa esperar que te traiam para saber como é horrível ser a segunda pessoa na vida de outra pessoa. Você não precisa passar por isso.

Não precisa ficar puxando assunto que não vai ser respondido. Não precisa sequer se preocupar com a saúde de alguém que não está nem aí para a sua. Você não precisa se cobrar ser uma boa pessoa para quem não é uma pessoa boa para você. É quase que tudo meio óbvio, meio automático de pensar e fazer, mas tão difícil de começar. Eu não quero que pense que a minha posição é confortável de só te falar o que não precisa fazer, se for o caso, que duvide do que penso e faça o que sente, mas você pode pensar e decidir se merece passar por tudo que tem passado. É uma escolha sua. Apesar de não ser você quem decide para quem gostar, é você que decide se o tanto que dizem gostar de você é o bastante.

Você não precisa passar por isso.
Não precisa ouvir a música que te faz mal. Não precisa rever o filme que te faz dar saudade. Não precisa frequentar sozinho os mesmos lugares que frequentou acompanhado.

A dor é natural, mas o sofrimento é opcional.

Até porque eu sei que muitas vezes a gente revive algumas coisas como se aumentassem as chances de vivermos novamente, como se ouvir aquele refrão outra vez fará aquela pessoa voltar. Mas não vai. Você sabe que não vai. Não é olhando para o relógio que as horas passam mais rápido.

Você também não precisa dedicar seu tempo para quem não dedica para você. Não precisa investigar os perfis nas redes sociais para saber com quem a pessoa tem andado, para onde e tudo mais que tem feito. Você não precisa saber de uma vida que não liga para a sua.

O sofrimento é opcional porque a gente sabe bem quando vamos fazer uma coisa que tem chances de não nos fazer bem. É como se você, mesmo sabendo da chance de morrer, tentasse se jogar do viaduto só para ver o que pode acontecer. Você sabe que bem não vai te fazer, mas você mesmo assim tenta. “É só uma olhada no perfil, rapidinho”, “Quero saber como anda a família”, “Estou com saudades dos amigos” são alternativas para sofrer. Você sabe que o que encontrar não te fará bem, mas mesmo assim você vai procurar.

Você não precisa passar por isso. Não precisa desperdiçar seu tempo tão precioso, este mesmo tempo que poderia ser aproveitado com você e as coisas que você gosta. Eu acho que está claro o quanto você não precisa provar para ninguém como é uma boa pessoa. É sabendo que você não precisa passar por isso que você prova o quanto ama a si próprio. É você em primeiro lugar sempre, depois outro alguém se der tempo.

Presta atenção. Ajude a curar o seu coração. Colabore para que os dias bons voltem. Preencha a sua rotina com boas notícias. A sua felicidade depende do jeito que você cuida da sua própria vida e não do jeito que cuidam dela para você.

Márcio Rodrigues.
instagram: @marciorodriguees
instagram blog: @umtravesseiroparadois

1 Comment

  1. É engraçado como eu sempre uso essa frase : ” Não preciso passar por isso”, e não me atento que espero que as pessoas se importem comigo da forma que eu me importo com elas. É engraçado não?

    Márcio, parabéns pelo post e parabéns por esse texto de análise pessoal e desabafo. Muito bom. Me identifiquei demais.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*