Você prefere não resolver as coisas

Hoje eu ocupo um lugar estranho na sua vida.
Hoje eu sou aquela pessoa chata que insiste nas soluções.
É que eu não consigo, por exemplo, dormir brigados.
Já você, é impressionante, como as coisas parecem passar para você?

E isso tudo fico oficial quando você prefere terminar a conversa ao invés de avaliar se nos entendemos.
As coisas não andam bem pra mim e isso reflete na gente.

Eu não consigo ficar normal com uma conversa nossa que toda vez é abreviada por você.
Parece que te incomoda as coisas que te digo – e olha que eu nem chego perto de te desrespeitar.
Você simplesmente não gosta de falar sobre assuntos que a gente se desentende.
Eu não queria ter que falar das coisas que não estão dando certo, mas entendo que essa é a única maneira de fazê-las funcionar.

Você prefere fugir.
Você ignora e me despista.
“Ainda esse assunto?” você questiona.
Você constrói cenários para que tudo acabe rapidamente – como se eu não quisesse.
Se pudesse, você certamente aceleraria o ponteiro do relógio – como se eu não quisesse também pular para a parte boa. A diferença é que, apesar desses momentos também me desgastarem, eu prefiro que a gente se entenda.

É que você prefere não resolver as coisas.
Você me posiciona como alguém que gosta de brigar. Você me acusa de estragar tudo quando “o clima está bom”, mas então eu não consigo enxergar o mesmo clima que você. Eu não sei o que está acontecendo.

Entenda que para eu falar essas coisas é porque estou há muito tempo observando este comportamento.
Eu não faria o jogo aqui de relembrar cada uma das coisas que não se resolveram, mas eu preciso te dizer que para vir te falar é porque eu pensei muito antes.

E não é que a gente brigue todos os dias, que a gente não se dê mais bem como antes, não é isso. O que acontece é que enquanto eu tento trocar o tijolo para continuar construindo a parede, você simplesmente deixa a obra de lado e vai embora.

Quero melhorar as coisas e por isso vim te falar.
Você consegue se colocar no meu lugar quando digo que me dói ir dormir com uma tempestade acontecendo na minha cabeça?

É que se não existir conversa entre a gente, vai ser muito difícil a gente existir.

por Márcio Rodrigues
umtravesseiroparadois@gmail.com

2 Comments

  1. que texto simplesmente maravilhoso, assumo que talvez eu seja o tipo que prefere não resolver e deixar para lá, mesmo sabendo que não é a melhor solução, só porque assim é possível evitar uma briga aqui e outra ali, mas nada é melhor do que sentar, olhar nos olhos do outro e conversar, colocar todas as cartas na mesa e resolver as pendências, é assim que aprendemos a ficar ao invés de ir embora, fugir ou se esquivar. parabéns pelo texto, sempre reflexivos.
    http://www.luaintensa.com.br

    • Márcio Rodrigues

      8 de setembro de 2019 at 11:43

      É exatamente isso.
      Ninguém gosta de falar sobre problemas, mas todos precisamos.

      Obrigado demais por ler! 🙂
      um beijo.
      Márcio Rodrigues.
      @marciorodriguees

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*