A boa notícia do dia

Será que a gente percebe a boa notícia do dia ou a gente só vive esperando a notícia que a gente quer? Será que a gente consegue ser sensível aos bons momentos de um dia comum ou tudo é chato demais se não acontecer aquilo que desejamos? Será que a gente vive alguma coisa boa num dia normal ou realmente é tudo ‘ok’ como a gente costuma sentir por conta, muitas vezes, de uma rotina acordar-trabalhar-dormir-acordar-trabalhar? 
 
Eu comecei a pensar nisso. 
Ansioso, tímido e sempre com baixa autoestima, sempre tive um montão de desejos para o universo. Por exemplo, me ocorreu agora, quando eu tinha por volta de 14 anos, veja bem, lembro de rezar por meses antes de dormir pedindo uma oportunidade de dar meu primeiro beijo. Sem muita habilidade de só mentalizar palavras, eu as falava em reza muito baixinho para os meus pais não ouvirem, uma vez que eu não tinha um quarto só meu – inclusive fui ter, pela primeira vez na vida, há 3 anos quando saí da casa que a minha mãe e tia moram – Estou com 34 anos. Engraçado o tipo de desejo que passa na nossa cabeça quando estamos na adolescência, né? Você deve lembrar de algum seu que hoje deve render risada. 
 
Aquele eu de 14 anos achava que a vida tinha que acontecer pra ontem. É que o papo de paciência, batalhar ou qualquer palavra do tipo, não entra na cabeça de alguém por volta de 14 anos. Eu jamais imaginaria como a minha vida social, profissional e afetiva ia se desenrolar lá daqueles 14 até hoje aos 34. E que bom. 
 
Hoje, a quarta coisa que mentalizo todos os dias é: saúde e paz – a primeira é “que sono”, a segunda é “vontade de dormir” e a terceira é “hoje vou dormir cedo”. Mas sério, essa mentalização ficou ainda mais forte depois que perdi um dos meus melhores amigos em 2018. Saúde e paz é uma dupla que permite a gente levantar de manhã e ver como vai ser o dia. Comecei a focar muito nisso, especialmente por já ter vivido e/ou convivido com episódios de saúde instável e pouca paz. 
 
Mas tem outra que comecei a mentalizar, especialmente nessa recém virada de 2020 para 2021: boas notícias. Comecei a pensar bastante no quanto estou prestando atenção nas boas notícias do meu dia ou se estou sempre franzindo a testa reclamando de alguma coisa, de alguma pessoa ou do que quer que seja. Toda reclamação é uma inércia onde a gente começa e não para mais, aí o “próximo motivo” aparece e a gente só repete a reclamação, uma vez que já reclamamos anteriormente. Se a gente encontrar alguém que valide nossa reclamação, aí pronto, é ladeira abaixo. Eu não estou dizendo que não devemos reclamar – até porque, né, seria ingenuidade demais pois: impossível –, mas comecei a pensar se eu também reparo quando algo bom acontece na mesma medida que reparo algo não tão legal. E a conclusão é óbvia: não reparo. Assim, concluí que grande parte das palavras do meu dia são sobre algum tipo de reclamação: da demora do delivery à quantidade de pelos dos gatos na roupa.  

Eu não estava/estou sendo generoso comigo. 

Por isso o meu desejo aqui é simples: saúde, paz e boas notícias. Que a gente consiga prestar mais atenção em cada boa notícia do dia mais comum que a gente viver. Depois de um cansativo dia de trabalho, você senta no sofá, abre qualquer serviço de streaming e: “olha esse filme que estreou!”. É uma boa notícia. Se você for pedir delivery e conseguir um desconto no produto ou no frete. Outra boa notícia. Se você encontrar uma peça de roupa que procurava há dias: outra boa notícia. Se você teve uma conversa gostosa om algum amigo. Mais uma. Se você conheceu uma parte nova daquela pessoa que tem conversado há dias. Uma boa notícia. Se você completou mais um dia acordando com alguém especial na mesma cama. Uma boa notícia e tanto. Se você conseguiu começar a tirar aquele desejo do papel se inscrevendo num curso ou algo do tipo, mais uma. Se conhecer uma música nova que não sai da sua cabeça. Uma. Se bater um ventinho fresco na sua janela numa noite quente de verão. Outra. Se você arriscar a fazer um prato novo e ele ficar ‘ok para comer’. Uma grande boa notícia. Se você descobrir um canal novo no youtube, se você passar a seguir uma pessoa que te inspira, se você conseguir não pular a rotina de skincare antes de dormir, se você praticar alguma atividade física, se tem dificuldade para se concentrar em ler mas conseguir ler uma página nova por dia – esta é uma notícia enorme. 
 
O ponto aqui é: todo dia tem uma boa notícia, mas a gente precisa prestar atenção nelas. É claro que em meio a uma pandemia deste tamanho, a melhor notícia vai ser uma vacina que permita evitar que mais pessoas morram, mas me permito aqui e me referir a boa notícia corriqueira, do seu dia a dia, aquela que você chama de “normal” mas que perde espaço na hora de comparar com a primeira reclamação que vier pela frente. Acho que é possível afirmar que, numa rotina de vida com o privilégio de ter saúde e paz, há pelo menos uma boa notícia por dia – se considerar saúde e paz, já começa o dia com duas.  

 
Em 2021, portanto, te convido a ser uma pessoa mais generosa com você; convido a cuidar mais dos momentos que você vive durante o dia ao ter um olhar mais carinhoso por tudo o que você faz, fala, age e experimenta. A gente sabe que nem todos os dias são bons, mas e todos os outros? Celebrar apenas um dia perfeito é desperdiçar vida.  
 
A melhor notícia sobre isso é: não custa 1 real e depende de 1 passo seu. 
 
Saúde, paz e boas notícias. 
(hoje, por exemplo, consegui pregar uns 10 pregos que estavam entortando e achei que não conseguiria). 
 
Um beijo. 
Márcio Rodrigues. 
@marciorodriguees 

1 Comment

  1. Adoro seus textos Márcio! Parabéns pelo blog!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*