(leia ouvindo “your power”)


Existe um monte de fantasma na sua cabeça.
Alguns surgiram quando você ainda era criança, outros nas últimas semanas.
Fantasmas pesados, que roubam sua energia e complicam a execução das menores tarefas.
Esse peso todo dentro da sua cabeça, inclusive, te complica até de levantar de manhã.
Também é o tipo de coisa que pesa tanto, que faz doer e te questionar sobre você. Assim, você acaba se cobrando cada vez mais e nada nunca parece bom o bastante.
Essa dor também te provoca reclusão; uma vontade única de ficar com a própria companhia que, aliás, já é barulhenta demais.
É difícil garantir que tudo isso suma da sua vida, mas é completamente certo de que a cada dia novo que termina é mais um dia em que você se torna mais forte pra administrar.

Todo ontem vivido é uma nova vitória.
Parece que não, mas você está conseguindo.

Você está conseguindo identificar o peso das coisas, e assim, consegue também entender o quanto de energia vai demandar. E isso é diferente de você de anos atrás onde qualquer menor problema parecia a maior tragédia. Tudo ainda existe, mas hoje você consegue identificar mais vezes quando é problema e quando é tragédia. E, talvez, o mais importante: entre problemas e tragédias, você consegue, a cada dia que passa, passar por tudo.

Por outro lado, terminar um dia, muitas vezes, representa o recomeço do medo do amanhã. Não tem como ficar feliz com um dia acabando quando a gente sabe que tem outro chegando pela manhã; e essa nova chegada representa os mesmos desafios e ansiedades de um dia antes. É uma sensação de ciclo venenoso.
Já te ouvi falar sobre algo parecido e consigo imaginar como ´e tóxico.

O que eu quero destacar, porém, é que você tem passado por tantos fins e começos de dia que acho que nem parou para perceber. Você tem superado tanta coisa que há anos atrás te tiraria o sono – e não que o sono, hoje, esteja uma coisa maravilhosa, mas isso é outro assunto. Você tem descoberto que você funciona em muitas coisas que eram incógnitas um tempo atrás. Ou seja, parece que não, mas você está conseguindo.

Está conseguindo levantar com joelho ralado depois de cada tombo. Está conseguindo dar o seu máximo e ter reconhecimento por isso. Porque reconhecimento é fundamental; é ferramenta de autoestima e motiva a gente continuar tentando – e se equilibrando no mix de acertar e errar.

Você está conseguindo se tornar quem mais queria: alguém que consegue administrar; não a preço baixo, é bem verdade, pois essa administração tem o custo de muita energia vital, mas veja só, diferente de alguns atrás, você está conseguindo ter energia para o que nunca imaginaria ter.

Tem dias que são uma bosta, mas pra cada um desses, tem outros com algum momento bom pra ter valido viver – ainda que o momento seja uma música que te faz bem.

Eu só queria te convidar a pensar em como você era há 05 anos. Muita coisa que parecia impossível agora é um fato para você. Muita coisa que parecia impensável agora é pensada e construída por você. Muita coisa que parecia distante agora está tão perto que parece que sempre existiu. Espelhar esse passado com tudo o que você conseguiu e tem conseguido pode ser um jeito de pegar mais leve com você. Mas também, vou te falar, se for pra pegar pesado, não haveria outra época melhor do que agora, nessa sua recente versão, cheia de curativos e também de força pra passar por cima – nem que seja a força do ódio.

Os fantasmas, todos eles, ainda estão por aí.
Algumas batalhas são eles que vencem.
Mas, agora, quem deve ter medo do amanhecer são eles porque a cada novo dia, é você um pouquinho mais inteligente misturando coragem pra enfrentar e desdém para não ser importar – ou se importar menos, o que já é uma conquista.

De verdade, parece que não, mas você está conseguindo.

///
por Márcio Rodrigues
@marciorodriguees
@umtravesseiroparadois
umtravesseiroparadois@gmail.com